GetaSecondLife

GETA interview – Scorpionsoul Paine

Scorpionsoul Paine 1

O Scorpionsoul Paine é um builder português no SL.
Além de builder, é Mentor tal como a Gwyn. O Scorpionsoul trabalha em parceria com o Santinhos Noel (de quem iremos falar brevemente). Podemos dizer que é um residente antigo no SL embora só tenha começado a utilizar as potencialidades do SL recentemente.

Scorpionsoul Paine 2

1 – Como descobriu o Second Life e o que o motivou a criar uma conta?
Bem descobri o Second Life através de uma entrevista há três anos atrás, contudo na altura não me chamou a atenção o suficiente para continuar a utilizar. Acerca de pouco mais de meio ano atrás outra entrevista despertou a curiosidade de ver como tinha evoluído a plataforma e fiquei a utilizar regularmente por já havia uma pequena comunidade portuguesa residente.

2 – Muitas pessoas desistem do Second Life na primeira semana ou no primeiro mês pelos motivos mais variados sendo que o mais comum é não se saberem orientar. O que determinou a sua permanência no SL durante todo este tempo e o que o motiva a voltar dia após dia?
Bem foi curioso, encontrei um avatar logo nos primeiros dias de second Life o Santinhos Noel e logo criamos uma boa amizade e começamos a explorar as possibilidades de negócios dentro da plataforma e assim continuamos a fazer até hoje.

3 – Como ocupa o seu tempo no SL?
Em boa parte passo a gerir os negócios in world, mas tento sempre tirar algum tempo para fazer o que mais gosto, ou seja, construir; socializar com os amigos; conhecer e ajudar novos avatares através do projecto second life mentor etc…

4 – Alguma vez desistiu do SL? (Porquê?)
Não, apesar de ter tido um primeiro contacto e não ter continuado penso que não lhe chamaria uma desistência pois a plataforma não estava ainda suficiente mente divulgada para manter o interesse do utilizador comum.

5 – O que mais lhe agrada mais e menos no Second Life?
Bem há alguma coisas que não me agradam no second life mas especificamente na plataforma o Lag é o factor mais desapontante da plataforma.

6 – Descreva-nos o seu percurso no Second Life.
O meu percurso é bastante simples, tive um primeiro contacto com sim’s internacionais, depois descobri a comunidade portuguesa na altura apenas com uma pequena representação, a partir dai desenvolvi um negócio com o santinhos noel e entre alguns pontos altos e baixo e que vou fazendo até hoje.

7 – Relate-nos um episódo ou episódios caricatos que lhe tenham acontecido no Second Life.
Bem durante o meu percurso pelo second life encontrei gente muito interessante e gente menos interessante que apenas está interessada em aborrecer outras pessoas, num destes dias recebo um IM a pedia ajuda uma sandbox portuguesa onde dois avatares estavam a perturbar outros que tentavam construir, após la chegar deparo me com uma guerra de mágicos, com um aparato visual nunca visto antes por mim, após falar com ambos ele prontamente param a guerra e compreenderam que estavam a perturbar algumas pessoas e não era essa a intenção deles, mas o mais surpreende na situação foi apesar de notoriamente ambos dominarem scripts não usarem essa vantagem para me atacarem e continuarem a divertirem se.

8 – O que é, para si, o Second Life: um jogo, um metaverso, um mundo virtual?
Um mundo virtual

9 – Alguma vez teve problemas relacionados com a plataforma? Se sim, como o reportou e qual a sua opinião do feedback por parte da Linden Labs?
Sim já tive mas sempre resolvi através da conversa com a outra parte.

10 – O que mudaria no Second Life?
Alteraria o código para open source

11 – De todas as possibilidades oferecidas pela plataforma e pela Linden Labs, conhece e utiliza todas as funcionalidades disponíveis?
Bem penso que conheço grande parte mas vivendo e aprendendo lol

12 – Quais são os seus projectos actuais e futuros no Second Life?
Continuar com os que tenho!

13 – Daqui a 5 anos, o que será o Second Life? Consegue projectar a carreira do seu avatar nesse médio prazo?
Daqui a cinco anos o second life será uma plataforma comum, quanto a minha carreira penso que deve manter o mesmo rumo durante mais algum tempo, mas penso que cinco anos e muito tempo para o universo second life.

14 – Tem alguma sugestão de alguém que gostaria de ver entrevistado neste espaço?
PalUP Ling http://discursosdooutromundo.blogspot.com/

Scorpionsoul Paine 3

  • Violeta Yakan

    És grande! ***

  • Infelizmente, o Scorpionsoul não nos forneceu SLurl’s com construções realizadas por ele para podermos mostar aqui…

  • Caty Matova

    ” Podemos dizer que é um residente antigo no SL embora só tenha começado a utilizar as potencialidades do SL recentemente.” permite-me não concordar com esta afirmação, desculpa dizer mas isto é alguem que não tem acompanhado todo o empenho que o ScorpionSoul tem tido… Eu que tenho acompanhado acho que não se está a dar valor á pessoa em causa! Por favor quando fizerem este tipo de afirmações conhecam melhor as pessoas em causa… O Scorp está aqui á bastante tempo já trabahou em vários projetos e gostaria de saber porque é que dizem que apenas conheceu á pouco tempo as potencialidades do sl…. respondam-me a esta pergunta s.f.v.
    Bjs Caty Matova.

  • Caty Matova, antes de se escreverem comentários desses talvez não fosse mau de todo ler as respostas dadas pelo próprio Scorpiansoul Paine. A começar pela primeira, onde está a resposta à tua pergunta…

  • Obrigada, Miguel, pela resposta pronta.

    Caty,
    Além de não entender a agressividade implícita no comentário, é um facto que não acompanhámos a actividade do Scorpionsoul no SL e foi exactamente por esse motivo que o entrevistámos: para o conhecermos melhor e para o darmos a conhecer.
    Na primeira resposta do Scorpionsoul, ele afirma que conheceu o SL há três anos atrás mas só recentemente (há meio ano atrás) começou a utilizar a plataforma regularmente. Tendo em conta que o SL faz 5 anos este ano, meio ano é actividade recente no SL. Até mesmo nós (deste blog) somos newbies tendo em conta a idade do SL.

    Nesta série de entrevistas pretendemos conhecer as pessoas. Aparentemente, somos o único blog português sobre o SL a fazê-lo. Outro dos nossos compromissos é não alterarmos as entrevistas. Ou seja, transcrevemos tudo o que nos foi passado.

    Passando à frente, gostaria de ter exemplos de locais (com SLurl’s) de projectos em que o Scorpionsoul trabalhou. A meu ver, essa foi a grande falha (minha) ao publicar esta entrevista e também por isso demorei tanto tempo a fazê-lo. Mas não tenho como ou onde pesquisar os projectos em que o Scorpionsoul trabalhou. Sei por outras pessoas com quem falei que é um excelente builder mas não tenho exemplos para podermos mostrar e gostaria de os partilhar com os leitores.

  • ScorpionSoul

    Hummm gente gente vá calma então! Oki é verdade que já estive ligado a mil e um projectos mas também nunca pedi para que o que fiz no SL fosse reconhecido, oki é sempre bom ser reconhecido! Eu respeito muito a Ana (ela o sabe a minha admiração) mas esta entrevista não passa de mera cortesia á Ana pois o que me move nos SL são AMIGOS como a caty pessoas que me conhecem bem e isso basta-me, projectos vão e vêm….. Axo k a caty não que desprezar o trabalho da Ana mas apenas dar a conhecer outra face minha que pouca gente conhece, se alguém então culpado (se é que se possa atribuir culpas) deste post da caty sou eu pois não informei melhor a Ana sobre o meu trabalho! Obrigado a todos os que leram a entrevista beijos e abraços

  • Mas nós QUEREMOS mostrar o teu trabalho. Eu, pelo menos, quero.

    Quero que todos vejam que existem largos milhares de residentes que falam português espalhados pelo SL em projectos giríssimos. Enviei entrevistas para imensas pessoas e recebi poucas respostas. Pretendo entrevistar pessoas envolvidas em projectos, pessoas não envolvidas em projectos, pessoas que conhecem um SL diferente do meu, enfim, quero mostrar todas as formas de encarar o SL que existem.
    Temos que conseguir sair do nosso sim e perceber que existe uma grelha gigantesca e que por aí existem 10 milhões de pessoas registadas. Acima de tudo, acredito que cada pessoa é especial à sua maneira e é isso que quero mostrar com as entrevistas. Quero mostrar os tesouros escondidos do SL falado em português.

  • ScorpionSoul

    Compreendo Ana a tua intenção, mas a minha imagem do meu trabalho de “building” no sl n é bem os trabalhos girinhos… é mais a finalidade deles! As pessoas que vão beneficiar o complemento á diversão etc… o gosto com que faço essas obras não posso dar URL, posso te dar URL das obras mas essas não são mesmo o mais importante! As pessoas são……

  • Caty Matova

    Desde já quero pedir desculpa pela forma como me expressei, mas sinceramente, e conhecendo o Scorp, a tal afirmação, mal entendida da minha parte e agora exclarecida só me leva a pedir desculpas. Não queria de todo ser arrogante ou algo parecido mas acabei por me tornar. Peço desculpa desde já.

    E passo também a dar valor a este teu trabalho Ana, parabens por o que estás a fazer, pouca gente tem coragem e acredito que seja complicado entrevistar e obter respostas de muitos intrevistados. Ainda bem que se exclareceu as coisas porque de todo não quero ser mal entendida por ti, uma pessoa que gosto muito e sempre me ajudou no sl.

    Passo também a acrescentar algo que não se focou muito na personalidade do Scorp, é um grande amigo e muito querido do sl, sempre me ajudou imenso e apoiou. Uma pessoa extremamente humana que adora ajudar tudo e todos, hoje em dia cada vez menos encontra-se pouca gente assim no sl.

    Volto a pedir desculpas pelo mal entendido, mas foi realmente um mal entendido!Bjs grandes Ana e continuação do excelente trabalho que tens feito 😉

  • Bom, parece tudo esclarecido.
    Como é evidente, esta série do Geta é para mostrar aquilo que se faz no SL em português e para divulgar o trabalho dessas pessoas. Não são entrevistas pessoais no sentido de querer saber tanto a personalidade, mas uma coisa mais neutra e objectiva: aquilo que se faz de bom no SL, seja a que nível for: building, scripting, criação de roupa, anims, estudos, experiências, etc. No entanto, as perguntas são suficientemente abrangentes para que os entrevistados escolham o que querem referir, que lhes pareça – na entrevista, como é evidente – mais relevante. A primeira parte é apenas de introdução, mas as respostas são tal e qual como nos foram enviadas.

    Scorpion, nós não estamos exactamente interessados em divulgar “coisas girinhas” nesta série de entrevistas, mas sim dar a conhecer o que se faz como acima referiu a a Ana e, exactamente, as finalidades. E não somos só nós que queremos saber, mas as centenas ou milhares de leitores de passam pelo Geta.

    Caty, claro que sim, que o Scorpion, como toda a gente, é com certeza muito amigo dos seus amigos. Todas as pessoas normais são 😀 só que este não era um post sobre um amigo e sim uma entrevista a uma pessoa que, no nosso caso e falo por mim, nem sequer conheço e sobre o trabalho dessa mesma pessoa, como são todas as outras entrevistas. Se o Scorpion quisesse focar mais esse aspecto, pois teria amplitude para o fazer, mas não é muito relevante, uma pessoa dizer numa entrevista que é amigo dos seus amigos. 🙂

  • ScorpionSoul

    Tal como referi antes cat esta entrevista é uma cortesia á Ana que alguem que admiro no SL todo o resto pouco me importa se conhecem o meu trabalho ou não!

  • Scorpion, a si pode não interessar, claro, se conhecem o seu trabalho ou não e eu compreendo perfeitamente. A mim o que me interessa é dar a conhecer os portugueses (ou que falem português, mas não precisa de se limitar a isso, no âmbito destas entrevistas) que estão no SL a fazer alguma coisa diferente. É também para isso que este blog serve e foi com esse intuito que se criou esta série.

  • Resta acrescentar…

    Há coisas que é bom a generalidade dos Portuguêses saberem! Expriencia própria!

    O importante é que a finalidade das coisas esteja lá… e quem as quiz fique contente!

    Se o “espirito” dos Portuguêses fosse outro… LOL!

    Aos poucos pode ser que as coisas se venham moldando! Tal como o SL tem vindo a estruturar e a moldar situações, também as pessoas o façam!

    Mais uma vez refiro que esta iniciativa da GETA dá a tal esperança… para um mundo melhor! LOL 😉