GetaSecondLife

“O Caneco” ou Homenagem a Hank Wade

13 Comentários
SL® geral GetaSecondLife 13 https://getasecondlife.net/2007/12/second-life-geral/o-caneco-ou-homenagem-a-hank-wade/#comments
603

Não posso dizer ao certo que é hoje, dia 11 de Dezembro, que se celebra o primeiro aniversário do “O Caneco”, fundado por Hank Wade. Mas posso dizer com toda a certeza que o bar abriu entre o dia 8 de Dezembro, data da primeira festa tuga do SL, organizada pelo Hank Wade (vide este post e este) e o dia 11, como se vê pela troca de comentários nos posts acima referidos.

A 13 de Dezembro escrevi outro post, já sobre O Caneco. Contentíssima com o nome, claro, porque (cof cof) o Caneco foi assim baptizado à conta do grito de guerra de uma certa blogger (grito esse sobejamente conhecido para os lados do 100nada), que não parou de dizer a palavra na primeira festa tuga do SL.

O Caneco e o Hank Wade (sem qualquer desprimor para a Aral Levitt, que estava menos lá mas sem ela não haveria bar nenhum) foram os grandes responsáveis pela comunidade portuguesa do SL. Evidentemente tudo isto já é história. Já não existe uma comunidade portuguesa do SL, porque o que há é cada vez mais gente com interesses e afazeres muito díspares e a tendência será para a fragmentação cada vez maior. Não é forçosamente mau, porque as pessoas acabam ou acabarão por se agrupar por interesses comuns e não pelo facto de serem todos expatriados num mundo desconhecido, conseguindo manter as duas coisas: a língua comum e alguma coisa mais que isso. O ano de toda a gente se conhecer no bairro português do SL acabou e daqui para a frente os milhares de pessoas que continuarem a entrar não saberão quem são estas pessoas ou aquelas que toda a gente conhecia antes. A fragmentação traz consigo o fim do bairrismo o que é excelente, na medida em que há mais escolha. Mas…nada disso teria sido possível, penso eu, se não tivesse existido um ano de comunidade mais pequena, para a qual o Hank Wade contribuiu de forma fundamental.

Eu gostava imenso dele. Admiro o esforço que todos os dias fazia, de manter um sítio para os portugueses que ali passavam (e não ficavam, havia camping para fazer e outras coisas para ver e ele passava-se com isso). Tinha lá o seu feitio, digo eu e um dia, pura e simplesmente desapareceu. Apagou a conta inclusivamente. Se calhar foi essa chapada, de nos ter desaparecido o nosso bar cheers (como dizia o Gath) “where everybody knows your name”, essa falta, que nos obrigou a ir ver o que se podia fazer para manter o ambiente a que já nos tinhamos habituado. E a abrir os nossos outros sítios: lembro-me de um bar português que não sei o nome e da cave de casa da Violeta Yakan; depois vieram os terrenos e depois os sims. E a rapaziada foi dando as boas vindas a quem chegava de novo e a comunidade aumentou (e fragmentou-se).

E, cada vez que recebo alguém num sítio meu, que chega de novo, com ar de perdido e de se calhar isto não vale a pena, uma das pessoas de quem me lembro é sempre do Hank que, no fundo, foi o responsável por nos manter a todos no SL. Se calhar ficávamos à mesma. Se calhar não.

Tenho saudades dele. Gostava de pensar que anda por aí de cara nova. Mas se não andar, também não faz mal. Nunca me pareceu pessoa que não soubesse o que queria.

Obrigada Hank. 🙂

  • :))

  • então eu? eu não contribui para …para … isso, e tal?!

    olha, olha!

  • Giro giro é serem vocês os dois os primeiros a comentar um post destes (porque não se pode considerar que tenham ficado no SL). E fui ver as dezenas de pics que tirei na altura e estão em todas. 😀

    Epá ó Zé. Contribuição de uma forma global, para a formação da comunidade. Tá bem, também contribuiste, pronto, nem discuto, tou com sono…

  • os bons velhos tempos 😉

  • M2life

    Pois… eu também sou um dos ‘velhotes’ desse tempo. Foi no Caneco que conheci os primeiros portugueses em SL: Cat, manas, Violeta, Ronin… e alguns outros que ainda, diariamente ou quase, por lá andam.

    Muitas conversas com o Hank, a maior parte delas a incentivá-lo a continuar, a não abandonar o Caneco. Enfim, foi bom mas o que se seguiu também foi: o crescimento da ‘comunidade’ portuguesa, a autonomização de projectos até chegarmos onde estamos hoje: muitos sims portugueses, muitas ideias, muita diversidade de conteúdos.

    Parabéns ao Caneco, ao Hank e, porque não dizê-lo?, a todos os que continuaram e permitiram chegar onde estamos 🙂

  • Foram bons os momentos que passamos lá no Bar. Deixa-me só apontar o seguinte: na minha opinião, a fragmentação não foi uma consequência mas a causa do fecho do Canecos. O Hank não compreendeu porque começaram a aparecer outros locais para portugueses quando éramos meia dúzia (mais aqueles que sempre estiveram no SL mas nunca se vêem) e porque começavam a organizar festas e a convidar pessoal do bar dele para festas noutras casas particulares.

    Isso entre outros problemas com “pessoazitas” que eram do sexo oposto – leia-se sexo SL oposto ao da RL. Nesse tempo não existia o SL Voice e havia muitos “estrunfes” de sexo indefinido a realizarem-se no SL, infelizmente à custa de outros, alguns que nem lhes passava pela cabeça que o SL dava para isso.

    Aquele bar português que falas – julgo que falas desse – era a Tasca Tuga, aberto por mim e pelo Pois num terreno cedido por um amigo espanhol da Mangaa. Apenas um local que arranjamos onde os portugueses se pudessem encontrar depois da surpresa do canecos fechado. Em pouco tempo percebi, mesmo sendo noob na altura, porque o Hank se pôs “ao fresco” 🙂

    Ao Hank ninguém lhe tira o mérito de ter aberto o primeiro bar português. Aos restantes, os que têm feito alguma coisa pelo SL português, sejam com escolas de formação, lands, clubes, sites, apoios variados aos noobs, ninguém lhes tira o mérito de terem feito com que o SL português seja o que é hoje, quer se goste ou não(quem não gosta sempre se pode mudar – digo eu).

    Ronin Dv.

  • Olá AA! LOL mais um resistente aqui, menos lá. Sabes que as primeiras pics que tenho do Caneco são dentro de água, com a Tess muito magrinha, o Zé (está na mesma) e tu com um chapéu gigante? Bons velhos tempos, sim, divertiamo-nos imenso. 🙂 Agora também, mas não tem aquela coisa da novidade. 😀

    M2, também conheci muitos dos “antigos” no Caneco. Teve piada aquela altura. E sim, acabou se calhar por ser o berço dos projectos todos, por isso digo que a fragmentação não é uma coisa negativa e sim um ajuste de uma comunidade muito maior por grupos de interesses conjuntos. Para quem chega (e para quem está) a diversidade de escolha é excelente. Mas sem o Caneco não sei se teria tido a mesma evolução. Também eu e o Miguel nos fartámos de insistir com o Hank se acaso precisasse de apoio, mas ele queria fazer tudo sozinho (com a Aral, sempre, claro) e acabou por desistir.

    Ronin, a fragmentação foi consequência de uma maior afluência de gente ao SL em geral (há um ano eram pouco mais de 1 milhão de residentes, agora passa os 10, nem sei se já 11) e, claro, nesses milhões chegaram muitos portugueses (e outros de língua portuguesa). Não daria sequer para estarem todos no mesmo sítio, mesmo que quisessem. E sim, essa “difusão” de pessoas – que já não paravam todas no Caneco – terá ajudado à desistência do Hank.

    O bar devia ser esse, de certeza, porque eu lembro-me de se referir que era em “terreno emprestado”. Pois, quem gere alguma forma de diversão no SL sabe bem tudo o que pode acontecer, incluindo as más ondas provocadas por indesejáveis como os que referes e outros: eles andem aí. Mas uma pessoa vai aprendendo com o tempo.

    Eu digo-te, seja por influência do Hank e por haver um grande espírito de empreendedorismo dos portugueses no SL, ninguém se pode envergonhar da nossa presença ali. O SL português tem muitíssima qualidade e diversidade. Num ano o que se construiu e conseguiu é impressionante. Um dia destes vou fazer aqui um apanhado da presença portuguesa no SL, com posts sobre os diferentes projectos, pois creio que a grande parte das pessoas – ainda mais as que acompanham sem lá andar, que também são muitas – não tem qualquer noção da dimensão da coisa. E quem não gosta, pois que meta à borda do prato, como se costuma dizer. 🙂

  • Violeta Yakan

    Bom acho que faltava o meu post… Saudades do hank da spirit da indigo da tripta do ruano da Tess do Pablito e demais personagens carismaticas daquele que foi o primeiro spot português… e a todos aqueles que criam novas contas ou pura e simplesmente deixam de fazer loggin na Segunda Vida o meu obrigado pelas horas de convivio e ”ka saudades do caneco!”

  • Marga Ferrer

    …já por mais de uma vez deixei escrito algures neste blog as saudades do Hank e, meia volta, esse assunto volta à baila em IM’s vários…

    Na altura, era novinha em SL, mas foi no Caneco que conheci todos os que já deixaram o seu comentário aqui, mais as manas, a Tripto, a Aral… e tantos outros…
    Ronin, meu “granda bêbado” que andavas sempre a cair para o lado! 🙂

    Tendo o tempo passado, é de facto extraordinário o crescimento da comunidade portuguesa em SL, congregada por afinidades de projectos. Acho agora que o Caneco funcionou como o nicho das ideias e dos projectos que hoje se vêem concretizados. E cada um dos projectos de então, que o deixaram de ser porque hoje são obras feitas, continuam a ser nichos de novos projectos. Parabéns a todos!

    É por isso que nós portugueses não paramos nunca! Se desbravámos os mares nos séc. XV, não iríamos deixar de desbravar o SL no séc. XXI!

    Grandas portugueses que somos os maiores! 🙂

    Um abraço Hank! (viste, viste o que fizeste? 🙂 Outro abraço, Aral! 🙂

  • Vi, é engraçado isto. No fundo, todos nós passamos um tempo bem giro nessa altura. Todos juntos. Se calhar também é por isso que, agora que cada qual seguiu o seu caminho, de repente toca o IM e uma pessoa diz um grande Olá! e tem mesmo gosto em rever aquela pessoa e por a conversa em dia. 🙂

    Marga, já falámos nisso várias vezes. Das saudades do Hank (no fundo é o nosso D. Sebastião, desaparecido no nevoeiro e transformado em personagem mítica) e dos tempos de início. E realmente nasceram e continuam a nascer (ainda agora soube de outro) projectos novos e muito bons.
    Se somos os maiores, LOL, bom os espanhóis para eles também são os maiores e os brasileiros também e os chineses e etc, mas eu fico contente por sermos bons e existir qualidade. Não seremos os maiores, mas fazemos o nosso melhor e isso é que é importante. 🙂

  • Mais do que merecida. Pena foi que tivesse desaparecido do SL o Hank Wade e o Caneco de então. Graças a ele, passei excelentes momentos na minha fase inicial de SL com pessoas que ainda estão e outras que já abandonaram a plataforma. Mas, sobretudo, foi ali onde encontrei um espaço fantástico para estar com a Cat Magellan 🙂

  • Bem…eu já por diversas vezes tenho expressado o meu pesar em não ter conhecido tal espaço e ter iniciado o convívio convosco nessa… Confesso que apesar de ter nascido mais ou menos por essas datas, nasci e cresci sozinha dentro do SL… e por mais que procurasse não achava pessoal tuga. Em parte foi essa distância e falta de “amizades” que me inicialmente, passado algumas semanas de SL (e mais ou menos por esta altura) me afastei a ponto de quase não voltar. Mas pronto, passado umas férias natalícias um pouco alargadas, lá decidi dar uma “segunda chance” ao second life. E depois de ter feito os primeiros grandes amigos entre os camones, comecei a encontrar pessoal tuga e surgiu a ideia do meu projecto…
    Isto tudo para dizer que nunca conheci o Hank Wade. Mas se ele foi o “criador” do Caneco original…pois os meus cumprimentos e os meus parabéns pela idéia e por ter sido o “berço” da comunidade tuga ;)…

  • hmpf… Foram tempos mesmo giros esses! 😀