GetaSecondLife

SLACTIONS 2012 é já amanhã

Sem comentários
, , SL® geral, videos https://i2.wp.com/getasecondlife.net/ficheiros/slactions2012-300x100.jpg?fit=300%2C100&ssl=1 https://i2.wp.com/getasecondlife.net/ficheiros/slactions2012-300x100.jpg?resize=150%2C100&ssl=1 GetaSecondLife 0 https://getasecondlife.net/2012/11/second-life-geral/slactions-2012-e-ja-amanha/#respond
720

É já amanhã, dia 15 de Novembro de 2012, que começa a 4ª edição do SLACTIONS, uma conferência sobre mundos virtuais que tem uma particularidade engraçada: é que é a única conferência do mundo que é em simultâneo no Second Life e no mundo real!

Como é que isto funciona? Bem, a ideia é curiosa. Como sabem, as conferências académicas internacionais são pagas — normalmente pelas organizações que apadrinham os investigadores (ou seja, universidades e centros de investigação). Mas as organizações têm fundos limitados. É, pois, obrigatório fazer uma selecção, de acordo com as posses de cada um, o que por vezes «exclui» a possibilidade de fazer uma apresentação com qualidade por falta de fundos…

Então já há uns aninhos que se fazem conferências no Second Life (ou OpenSimulator). Resolve-se o problema das estadias e deslocações, e o custo total da conferência baixa muito, atraindo mais gente.

Mas isto tinha um problema!

É que no meio académico há regras para tudo. E algumas organizações achavam «muito estranho» que alguém fosse fazer uma apresentação numa conferência virtual. Seria séria? Sim, no caso do SLACTIONS, os melhores artigos, por exemplo, são publicados em revistas científicas internacionais altamente cotadas. Mas mesmo assim as pessoas que «mandam no dinheiro» torciam muito o nariz a estas iniciativas. Parecia uma grande aldrabice!

Bom, para resolver a situação, o pessoal que lançou o SLACTIONS (principalmente portugueses!) pensou no seguinte modelo: ok, a conferência faz-se no Second Life. Até aí tudo bem. Mas vamos também pedir colaboração de algumas universidades, espalhadas por todo o mundo, para colocarem umas salas com boa conectividade à Internet e acesso ao SL, onde o pessoal pode ligar os seus portáteis e entrar com o avatar na conferência. Assim, um investigador que queira «justificar» a sua presença no SLACTIONS, bastava dizer: «olhem, eu vou deslocar-me à universidade X no país Y onde vai haver uma conferência». E pronto, resolvia-se o problema das deslocações e da «seriedade» da conferência virtual — não era preciso grandes explicações 🙂

Claro que isto tem uma vantagem adicional: permite também que, pelo menos nos pólos locais, o pessoal possa almoçar junto, trocar contactos, etc. que é sempre o «prato forte» das conferências. Claro que se pode trocar contactos também online! (já almoçar é que é mais difícil…)

Tem também a vantagem que em vez de se terem cinco ou dez obscuras universidades a promoverem as suas próprias conferências com uma audiência de meia-dúzia de gatos-pingados, tem-se assim uma mega-conferência, à escala global, onde todos participam em simultâneo, seja onde estiverem — em casa, nas universidades, nos pólos locais — o que dá muito mais impacto! Foi isso que também levou a que haja grande credibilidade científica nesta conferência, já na sua 4ª edição, sempre com o mesmo modelo: é que é feita à escala global. Todos os anos há uma universidade diferente a «centralizar» o processo e registo e publicação posterior das actas da conferência — mas é a «mesma» conferência, a que todos assistem simultaneamente.

Este ano ainda há mais uma novidade: o festival de machinima, que começa justamente dia 15, «abrindo» a conferência: http://www.slactions.org/2012/?page_id=548 Pode parecer estranho que uma conferência académica comece com um festival de vídeo! Mas é uma longa tradição: há décadas que o SIGGRAPH, provavelmente a conferência de computação gráfica mais famosa do mundo, tem sempre um festival de animação por computador, onde os cientistas mostram o melhor que tem sido feito na área de uma forma muito visual e acessível ao público em geral (hoje em dia até já há prémios tipo Óscares e tudo…). Ora faz, pois, todo o sentido que se tenha o modelo «equivalente» para uma conferência de mundos virtuais — e o «equivalente» são justamente as machinimas.

Pelo menos penso que o acesso ao festival de machinima seja público e aberto a todos. Basta ir à ilha da UTAD. Vale a pena ir — até porque a famosíssima Pooky Amsterdam, referência obrigatória do machinima no SL, vai estar por lá também!

https://i2.wp.com/getasecondlife.net/ficheiros/slactions2012-300x100.jpg?fit=300%2C100&ssl=1

Sobre Gwyneth Llewelyn

Ando por aqui a pensar que se calhar já ando há demasiados anos a escrever disparates sobre o Second Life e que já devia ter idade para ter juízo, mas a verdade é que não desisto facilmente e sou teimosa que nem uma mula!