GetaSecondLife

GETA interview – Uma Ceawlin

Uma - Frida

A Uma Ceawlin é uma residente portuguesa com imenso estilo e uma excelente fotógrafa. Recentemente, criou o seu próprio blog – McToastFace onde partilha as suas descobertas e o seu estilo. Recomendo também que espreitem o seu flickr onde tem fotos fora de série.


Uma Ceawlin 2
1 – Como descobriu o Second Life e o que o motivou a criar uma conta?
Incrivelmente através de uma amiga da faculdade porque foi um assunto discutido numa das aulas de teoria de design, a motivação foi a curiosidade já que nunca fui de me agarrar a ‘jogos’ online e quis ver do que se tratava.

2 – Muitas pessoas desistem do Second Life na primeira semana ou no primeiro mês pelos motivos mais variados sendo que o mais comum é não se saberem orientar. O que determinou a sua permanência no SL durante todo este tempo e o que o motiva a voltar dia após dia?
O que determinou a minha permanência no sl foi a minha curiosidade, a necessidade de perceber do que se tratava e quais as possibilidades de usufruir ao máximo do ‘jogo’ (que para mim não tem nada de jogo). Orientar-nos foi fácil, as pessoas com que me cruzei foram sempre amáveis e prestáveis ao máximo. O que me motiva a voltar são essencialmente os amigos, as relações que estabeleci aqui, a procura de fazer algo novo e diferente todos os dias. É um vício e acima de tudo uma distração mas apesar de tudo já construí aqui uma vida e não é fácil abdicar dela também.

3 – Como ocupa o seu tempo no SL?
A conviver com amigos, a conhecer outros, a ouvir música e ‘sociabilizar’, a trabalhar às vezes, a fazer compras, a fazer algo novo todos os dias, a tirar fotos e acima de tudo rentabilizar o tempo que tenho online com o meu namorado.

4 – Alguma vez desistiu do SL? (Porquê?)
Nunca.

5 – O que mais lhe agrada mais e menos no Second Life?
A liberdade que temos de realizar tudo o que quisermos, a facilidade com que interagimos com qualquer pessoa e da forma mais positiva possível, as pessoas que conhecemos, o que aprendemos com essas pessoas e o facto de não haver nenhuma barreira ou distância para as conhecermos. O facto de ter conhecido pessoas fantásticas, a quem posso chamar de amigos, o meu namorado , a minha ‘casa’ (pq há sempre essa necessidade de nos sentirmos ‘em casa’). Não há nada que me desagrade porque aqui não temos que suportar o que não desejamos, ou seja, não há nenhuma obrigação a cumprir.

6 – Descreva-nos o seu percurso no Second Life.
Tudo começou por tentar perceber do que o SL se tratava, depois de perceber como fazer um ‘upgrade’ na minha imagem, depois procurar um objectivo. Decidi ‘gastar’ algum dinheiro a tratar da imagem, mas essencialmente tudo começou por interagir com as pessoas e conhecer os sítios certos com quem me identificava etc. Conheci grandes amigos, entre eles portugueses e acima de tudo e surpreendentemente conheci uma pessoa muito especial, o meu namorado e quebrei as barreiras do mundo virtual para o real. 😀 Participei num concurso para ser a ‘cara’ do cotton candy mall e passei a ser assistente da cate, que dirige o cotton candy. Sou viciada em tirar fotos e divirto-me imenso com isso, entre tirá-las e trabalhá-las estou a pensar expo-las numa expo/galeria para as partilhar e sentir algum feedback das pessoas.

7 – Relate-nos um episódio ou episódios caricatos que lhe tenham acontecido no Second Life.
Todos os episódios caricatos envolvem newbies e ser ‘incomodada’ por eles. Especialmente os que só querem irritar uma pessoa e incendiar-lhe a casa. ehe. Outra das situações foi conhecer uma pessoa e vir a descobrir que já a conhecia na rl. O mundo, mesmo o virtual, é pequeno…

8 – O que é, para si, o Second Life: um jogo, um metaverso, um mundo virtual?
Começou por ser um jogo e passou realmente a ser uma segunda vida, um mundo virtual.

9 – Alguma vez teve problemas relacionados com a plataforma? Se sim, como o reportou e qual a sua opinião do feedback por parte da Linden Labs?

Tirando os típicos crashes, nunca tive problema algum.

10 – O que mudaria no Second Life?
O facto de ao comprarmos ‘Land’ termos obrigatoriamente que pagar tier para o resto da vida.

11 – De todas as possibilidades oferecidas pela plataforma e pela Linden Labs, conhece e utiliza todas as funcionalidades disponíveis? Sim.

12 – Quais são os seus projectos actuais e futuros no Second Life?
Continuar a divertir-me e a conhecer gente de todos os tipos, participar nas mais diversas actividades, ganhei um concurso para ser cara do cotton candy mall e além de assistente, espero apostar mais em construir algo, talvez aprender a fazer roupa mas essencialmente divertir-me a faze-lo.

13 – Daqui a 5 anos, o que será o Second Life? Consegue projectar a carreira do seu avatar nesse médio prazo?
Não consigo imaginar se a médio prazo terei disponibilidade para estar sempre no SL..mas se tudo correr bem, estarei por aqui. Penso que daqui a 5 anos as possibilidades do SL se desenvolver ao ponto de se tornar cada vez mais real dentro da virtualidade são muito grandes.

14 – Tem alguma sugestão de alguém que gostaria de ver entrevistado neste espaço?
Todos os portugueses que fazem algo pela comunidade no SL, os que se instalaram e marcam a diferença e desenvolvem um projecto e se dedicam a desenvolver as infinitas oportunidades que o SL nos dá.
Uma Ceawlin 1