GetaSecondLife

Mudanças na Linden Lab

Uma pessoa não pode afastar-se da Second Life por algumas horas que algo acontece. Desta feita, não se trata de mais nenhum upgrade ao viewer ou qualquer outra novidade técnica. Trata-se de alterações ao nível do top management da Linden Lab, segundo reporta a Reuters(SL) nesta notícia. O seu fundador, Philip Rosedale (Philip Linden, in-world), deixa o cargo de Administrador-Delegado (CEO) para assumir as funções de Presidente do Conselho de Administração (Chairman) da Linden Lab, conforme o seu comunicado no blog oficial da Second Life. Esta alteração, na gestão de topo da “mãe” da Second Life, faz todo o sentido se tivermos em consideração pelo menos 3 factores relevantes:

1. dificuldades na consolidação e expansão do universo da Second Life, conforme temos vindo a apontar no blog, em diversos posts (“Estatísticas actualizadas”e “A SL por esse mundo fora”);

2. mudança de Director Financeiro (CFO) em finais de 2006, pela contratação de John Zdanowski, ex-CFO de uma empresa listada no Nasdaq;

3. enorme potencial representado pela Second Life em diversos domínios profusamente abordados (cobertura geográfica, crescimento exponencial de utilizadores, inovação tecnológica, etc).

A estagnação e alguma dificuldade, em termos de mercado, de captar (e manter) empresas na Second Life, novos utilizadores “pagantes” e inovação tecnológica em tempo útil que aumentasse a apetência do mercado pela plataforma, em diversas vertentes, poderão justificar as alterações de topo. Novo sangue, abordagens possivelmente diferentes a que não será de todo estranha a contratação de um novo CFO há ano e meio atrás. A Linden Lab quer, através da sua plataforma Second Life (e/ou outras), criar todas as condições para realizar um IPO e listar-se no Nasdaq. É a consequência lógica das mudanças registadas e provocadas pela crise de crescimento por que estava a passar a Linden Lab.

Porquê agora? Tendo perdido a grande oportunidade para entrar no mercado aquando da bolha tecnológica nos EUA, o actual momento dos mercados, não sendo propício a um IPO em boas condições, permite à Linden Lab proceder às alterações adequadas para que dentro de, diria eu, uns 2 anos, já com as condições de mercado provavelmente mais favoráveis, poder realizar um IPO de sucesso com uma plataforma já bastante mais desenvolvida e escolhida pelo mercado como “a” solução neste segmento de mercado. O futuro o dirá.

  • Sabes que está em cima da mesa contratarem alguém exterior à Linden Labs…?

  • Tu bem andavas a remoer essa do John Zdanowski…(grande análise, Miguel! :))

  • Isso também faz todo o sentido Ana. O recrutamento de sangue fresco, externo à organização, permite precisamente uma abordagem diferente de quem já lá está dentro. Porque repara, quem vem de fora vê, na maioria das vezes, o que os outros que já lá estão há muito deixaram de ver.

    Claro, foi um sinal claro e inequívoco, não foi? Estás a ver o tipo de stock-options que terão prometido ao tipo lol! (não é grande mas a possível, com a informação disponível e aquilo que qualquer jovem empreendedor americano nesta área tem em mente: lançar um novo Google, Amazon, Yahoo, etc…).