GetaSecondLife
  • Miguel Yesheyev

    Tá bem giro Ana! Tenho que ir lá espreitar isso 😉

  • Vai vai. Está muito bem desenhado.

  • Winter

    A “nossa” Gwyn é fantástica 🙂
    Bigadus Aninha por teres mostrado à malta 🙂

  • Este foi desenhado pela Moon! 😉

  • Winter

    As minhas desculpas à Moon e muitos parabéns 🙂

  • Eu descobri porque, como sou cusca, vi quem era o criador. 😀

  • Obrigado pela dica. Gostei muito. Bati umas fotos muito interessantes.

    Há pouco quis deixar uma mensagem no teu outro blog, sobre o vídeo que lá tens e não consegui. Achei o clip maravilhoso, não só ao nível da filmagem, mas sobretudo pela reflexão em torno do papel de cada um neste mundo.
    Conheces a Ópera Popular de Paris, na SL?

  • Giovanni Carlo Sicinio Galli Bibiena

    Sinceramente diverti-me muito a ler o vossos comentário e esta pseudo recriação. Para o caso de não saberem, ela está cientifica e historicamente incorrecta: se entrarem no espaço que vos é proposto, a decoração apresentada é no mínimo imaginativa, ao subirem para o nível da plateia, a escada de acesso tem uma guarda em ferro forjado, coisa que o arquitecto que projectou a ópera jamais concebera, para não falar nos fantásticos degraus que nos são propostos de uns 40 cm de altura cada. Se alguém conseguir subir sete metros em degraus de 40 cm eu dou-lhe os meus parabéns. Continuando, no nível da plateia, se fizerem uma panorâmica pela sala verão que esta tem 6 ordens ou níveis de camarotes, o que é incorrecto, pois tinha apenas 4; se se viraram para o palco real (por cima de uma grande entrada) vejam que este está decorado do mesmo modo que os demais camarotes à parte da bonita imagem (estou a ser sincero) que lá foi mapeada. Poderia seguir referindo uma série de incongruências, especialmente por esta proposta tridimensional ter sido foi feita e publicitada por alguém doutorado (o que deveria significar rigor, cientificidade, veracidade, etc.). Pois trata-se de um trabalho «cientifico» suportado por outra instituição cientifica (Amerian Library Association). Enfim… Mas antes de acabar, gostaria de vos chamar à atenção para a cereja em cima do bolo: vejam com pormenor da imagem que foi escolhida para o fundo do cenário da ópera Alessandro nell’Indie. Trata-se pois de um casal muito conhecido, uma tal Maria e um tal José que lá andam à procura de uma gruta, acompanhados das suas vaquinhas e ovelhas… Quase que dá para ver o Ricardo Araújo pereira a dar indicações ao tal casal do «Jet-set». Independentemente das minhas observações, divirtam-se no Second Live.
    Abraços desde Bolonha!