GetaSecondLife

Ultimo post

tess.bmp

Há dois meses quando entrei para aqui, pensava mais ou menos como diz a Cat num antigo post:

” […]Há alguma (dependerá das pessoas, como é evidente) ligação entre a pessoa real e o seu avatar que, no meu caso, não é muita; é uma ferramenta gira para interagir com um programa e o autor está desligado, lá atrás, a beber uma chávena de chá e a fazer outras coisas: a tendência é manter um certo distanciamento.[…]”.

Eu acho que entramos mais ou menos todos neste pressuposto, tendo no entanto (+ ou -) consciência de que isto, sendo um jogo, não será totalmente inocente, afinal não é nas pontas dos dedos que batem no teclado que acaba a pessoa e começa o avatar. Não é nos pings que a nossa máquina envia ao servidor dos Lindens que perdemos a nossa “alma” e nos transformamos num boneco totalmente manipulável. Pode parecer ridículo a quem nunca entrou, mas peçamos-lhe que manipulem o nosso boneco a seu belo prazer e vão ver como se retraem, como evitam certas situações como se da vida real se tratasse.

Apesar de tudo, o jogo continuava-me a parecer menos perigoso do que a vida real, afinal, não existia nenhum problema que não pudesse ser resolvido com um “shut down” ou, num caso extremo, um “uninstall”.

E também tive quem durante este percurso alguém que (à boa maneira do grilo do Pinóquio) persistiu em fazer-me ver as coisas de uma forma menos inocente (obrigado, Zé).

Eu ouvi e vi coisas que não julgava serem possíveis e que ultrapassavam em muito o virtual da coisa.

Comentei isto com algumas pessoas chegadas e recebi preciosos conselhos (“cover your heart”, lembras-te?). Por fim, e de confusa que estava, pedi testemunhos.

Devo dizer que ninguém mos deu. Talvez por não se quererem expor, talvez por estarem tão confusos como eu.

Porque há comunicação sim, mas é uma comunicação defeitosa, sem modulações do tom de voz, sem olhares, toques, gestos e químicas. É propensa ao engano (mesmo quando este não é propositado, porque na maioria das vezes é-o ).

Nada que não se passe na Real Life, portanto.

E lá como cá, caímos, levantamo-nos e seguimos para bingo.

O meu tempo de Shut Down chegou agora, fecho a tampa do Laptop e reparo que lá fora nada mudou, a relva tem sido aparada como sempre e o mar ainda está no canto da minha janela.

A todos os que me acompanharam lá dentro (e cá fora), obrigado (saudades, claro). Prometo vir aqui dar uma espreitadela de vez em quando.

Sobre Tess, ex aut

Entrei no SL pela mão da Cat. Demorei a entrar no esquema, confesso, e comecei por achar aquilo tudo uma grande confusão. Um bocado como estar num sítio estranho no meio de estranhos. Depois, com umas ajudinhas, fui começando a achar piada à coisa, a este mundo virtual onde (quase) tudo é possível.
  • Com imensa pena, minha querida, mas entendo. Um grande beijinho e ainda bem que há RL, com almoços, jantares e abraços (reais) às amigas.

  • 🙂
    já estou com saudades…

  • Joanna McLaglen

    Tess,
    De tudo o que vi e li dentro e fora do SL, este é o testemunho em que mais me reconheço.
    Não, não és a única a sentir essa confusão. Se tivesse sabido, a tempo e horas, que tinhas pedido testemunhos, tê-lo-ia dado de bom grado!
    É claro que o SL tem muito pouco de inocente e é claro que o SL tem alguma coisa de fascinante. Por tudo isto o SL afasta-nos da vida real e, como dizes e bem, acaba por nos afastar da relva lá fora, do mar no canto da janela, do sol e do frio, dos livros amontoados na mesa de cabeceira e das pessoas feitas de carne e osso, aquelas que têm cheiro, segredam ao ouvido, têm olhares e modulações de voz.
    Já estive mais longe do meu próprio shut down.
    A comunicação defeituosa de que falas (ou a comunicação mascarada daquilo que se gostaria de ser) é interessante até certo ponto.
    Para já, eu vou continuar no SL (a Ana Lutécia despertou-me a curiosidade por lugares de que aqui falou) mas acho que, depois disso, também eu farei o meu shut down.
    Um beijinho muito grande e tudo de bom para a vida que escolheres viver.

  • Jose Flamand

    A minha enorme admiração pela forma como te confrontaste (e afrontaste) com o que sentiste. Gostei muito de conhecer-te (não falo de avatares) por lá Tess

  • Jose Flamand

    (bem podias ter escolhido uma foto mais bonita do teu av por amor de Deus)

  • Nuno

    pois ke a SL tem tudo isso, mas tb pode ter tudo o contrário daquilo que falas.
    Depende da maneira como TU encaras o jogo.
    No meu caso pessoal e ao contrário do que aparentemente te aconteceu, a SL fez despertar muito do que andava adormecido na RL, fez-me acordar, reapaixonar-me pela minha mulher, passar em certas coisas muito para além dos pontos onde alguma vez tinha chegado, quebrar muitas barreiras, derrubar muitos obstáculos.
    Acredito que seja pouco usual, e até que não seja o que mais acontece em SL, mas é a minha própria experiência se vale de alguma coisa…
    Mas também acredito que cada um deve fazer aquilo que sente que deve fazer para ser feliz, e que a RL é sempre melhor que a SL…
    Desculpem a intromissão vcs que não me conhecem SL, mas achei que era importante dizer alguma coisa…
    E tu que me puseste a ler este blog…Amo-te

  • Zesim

    Nuno,
    a tua opinião é deveras interesante e acho que explica o modo como vejo a SL.
    Para mim a SL serve para ver as coisas com o coração, de um modo instintivo, na RL é mais dificil porque tenho opinião contrária à Tess qd diz:

    “Porque há comunicação sim, mas é uma comunicação defeitosa, sem modulações do tom de voz, sem olhares, toques, gestos e químicas. É propensa ao engano (mesmo quando este não é propositado, porque na maioria das vezes é-o ).”

    Na RL há mais formas de enganar os outros através de todas as caracteristicas que ela indicou.
    Já tenho experiência de conhecer pessoas online e depois vê-las na RL e raramente me engano sobre a personalidade delas.

    A SL é uma forma de interacção como qq outra que exista e que permite às pessoas comunicarem. Pode -se comunicar de muitas formas e maneiras e fazer tudo e mais alguma coisa, até saltar dum arranha céus em pára quedas ou sem ele.

    Pode tb servir de laboratório para deixar cair máscaras sociais, que todos temos (chamo mentiroso a quem disser que não as tem na RL) e sentir a reacção dos outros.

    Já chega, vocês põem-me a falar muito sério 😛

  • Joanna McLaglen

    Deixar cair máscaras ou passar a usa-las.
    Nuno, o teu comment vem do coração, é honesto e limpo, não podia ser mais RL.

  • Roberto

    Da minha parte senti que me perdi um pouquinho, principalmente no que diz respeito ao tempo dedicado ao SL e à RL. Mas como tenho 2 madrinhas espetaculares, uma no SL e outra no RL, retomei o rumo normal da vida! E deixei o SL para ser aquilo que é, apenas um jogo para se divertir nos horários vagos!
    Agora passo a maior parte do tempo dedicado a quem merece: minha companheira! RL é claro! 😛

  • É o que acho piada, porque aqui há uns tempos quando vim pedir testemunhos estava tudo calado que nem um rato e agora que me venho despedir põe-se tudo a dar uns grandes testemunhos e nem de dignam a dizer adeus. Bom mesmo é calar-me agora não vá o efeito dos comprimidos fazer-me dizer aquilo que deveria ter dito e calei.
    Bjs a todos, have a great first life.

  • miguel

    Hmmmm Tess, é uma pena. Estava a ser muito giro e nunca mais me esqueço da primeira frase que disseste no Caneco quando nos vimos pela primeira vez “Um botão de rosa, portanto.” LOL! (Ok a frase não era para mim mas deu azo a umas gargalhadas alheias ;)) Bom, revejo-me em parte no que disseste e, é claro, para quem tem uns anos disto aprende a construir algumas defesas e barreiras que nos defendam do mundo “lá fora”. A SL é uma réplica excelente da RL, levando a que, em muitos casos, o que há de bom/mau em nós seja, possivelmente, potenciado sobremaneira e/ou sobrevalorizado pelos outros. É a sensação que tenho e sempre tive da virtualidade. A RL é de facto e bate aos pontos tudo o que seja da SL, não retirando o gozo que se tem numa SL. Por tudo o que nos dá a experimentar e conhecer. Fundamental mesmo, é conseguir manter o equilíbrio. Boa sorte e que tudo te corra bem, com muita relva verde aparada e mar esplendoroso (com alguma vaga senão não tem piada nenhuma!). Beijinhos 😉

  • Miguel meu querido,ainda havemos de nos encontrar por aí (isto dito de uma maneira perfeitamente casta como a Cat tão bem sabe).
    Bjs, bjs

  • Miguel Yesheyev

    LOL Beijos 🙂

  • Jose Flamand

    Eia lá, eu testemunhei, eu testemunhei!!! O quê não sei, mas lembro-me que li algures neste blog o meu testemunho … acho

    (xaláisso Tess 😉 )

  • Nuno

    Cara Tess…
    Os melhores testemunhos damos quando os sentimos e não quando são pedidos…Eu próprio tinha de facto escrito um testemunho para aí, mas como costumo fazer foi escrito de uma assentada com o coração e sem cabeça…e de facto não o enviei ou postei, porque era demasiado pessoal, e acabei por escrever nele sentimentos que se calhar depois quis de alguma maneira escudar e defender, não os expondo completamente…E acabo citando de coments anteriores coisas que acho são fundamentais…
    Zesim
    “A SL é uma forma de interacção como qq outra que exista e que permite às pessoas comunicarem. Pode -se comunicar de muitas formas e maneiras e fazer tudo e mais alguma coisa”.
    Miguel
    “A SL é uma réplica excelente da RL, levando a que, em muitos casos, o que há de bom/mau em nós seja, possivelmente, potenciado sobremaneira e/ou sobrevalorizado pelos outros.”

    E acho que precisamos de ter sempre cuidado…a maneira como somos magoados em SL é exactamente a mesma maneira como podemos ser magoados em RL.

    Em todo o caso tenho pena que deixes o jogo e que tenha sido uma experiência menos positiva para ti.Espero que com o tempo possas reconsiderar, voltar e disfrutar talvez o jogo de uma outra maneira.

    Para acabar cito outra vez o zesim
    “Já chega, vocês põem-me a falar muito sério”

  • Tess,

    Muitos dos que acima escreveram já disseram muito do que sinto. Vamos sentir tua falta, respeitamos a tua opção, felicidades, volta sempre, etc.

    Quanto a mim, que sou bruto que nem o proverbial tijolo, tenho pena que te vás embora porque eu não percebo porquê. (têm de me explicar tudo porque coçando a cabeça não vou lá, dizem que faz o cabelo cair, e gosto de ser diferente do avatar) O sentimento é de promessa que ficou por cumprir – a promessa (ou espectativa agora frustrada) de te poder conhecer melhor.

    Estás longe de ser uma pessoa fácil, muito andámos às turras, passaste metade do tempo na SL a tentar meter-me chumbo virtual. Mas houve vislumbres bons que me fizeram pensar. E eu gosto de quem me faz pensar. “Sonhar” não, porque não sou nada fofo. Mas fico a remoer o que poderia ter feito mais. Agora, pedir testemunhos abstractos não foi bem um desafio leal, quando haveria sempre quem estivesse lá para ti.

    Portanto Tess… já sabes onde me encontrar… beijinhos…

  • Estive a ler estas opiniões todas (btw, os testemunhos, se os quiserem enviar, está aí o email, não se abandonam projectos giros) e chego à conclusão que é sempre a mesma. As pessoas são o que quiserem ser, seja na RL, seja na SL. Se quiserem ser elas mesmas, são, se preferem ser diferentes são, tanto faz o tal “real” ou “virtual”. Muita gente insiste nessa diferença, para mim são apenas formatos diferentes de comunicação. Evidentemente ao vivo e a cores, há certos sinais que aprendemos a ler mais cedo e que dão informação, mas tantos os sinais como essa informação podem não ser os mais correctos. No caso da comunicação virtual e na ausência desses sinais há, no entanto, outros que não são possiveis de enviar no real. Também se aprendem a decifrar.
    Em última análise, dependerá sempre da mensagem que nos quiserem passar.

    Quanto à relva real e à paisagem virtual (para usar generalidades) é assim: há bocados de relva virtual bem mais giros do que alguns pedaços de cascalho real. O real não é bom por ser real e o virtual não é mau por ser virtual. É tudo a mesma coisa, há bom e mau. Como as pessoas, como tudo na vida.

  • Viriato

    Que grande polémica….É assim a minha opinião….usem válvulas de alívio de pressão….não deixem chegar ao ponto de explodir..RL é RL …SL ainda se vai ver o que é …. para já é um bom laboratório…Quem tem problemas com a SL tem no mínimo coisas por resolver na RL…O SL também pode ajudar há boas pessoas com boas intenções, mas não só…felicidades a todos é o meu desejo. Tess para ti beijinho não te conheço mas conheço pessoas parecidas… acima de tudo são boa gente como tu me pareces…fica para uma outra oportunidade…