Ora então, analisando o post no blog oficial e o facto de o post ter sido colocado, em primeiro lugar:

É uma vitória dos blogs em greve, sim. Fizemos barulho, todos estes blogs que estão na lista da Rheta e pedimos clarificação, conforme o Manifesto da Gwyneth Llewelyn e a Petição que se seguiu . Apesar de terem sido poucos blogs, a verdade é que alguns são blogs muito importantes e a greve mexeu com muita gente, incluindo todos os que a referiram e ao assunto, estando do contra e que aumentaram a discussão e a difusão.
Aquilo que se pedia era clarificação das novas políticas.

Com esta clarificação, obteve-se uma resposta mais firme do LL. Ou seja, aquilo que se pretendia – clarificação – foi obtido, daí a greve ter sido um sucesso.

É evidente que estava implícita uma certa posição de “justiça” em relação aos bloggers que até agora têm publicitado o SL e levam uma valente biqueirada em troco de publicidade grátis a um produto informático, mas essa justiça é entre aspas e em itálico. Ou seja, apelámos para os seus bons sentimentos (do LL) nesse campo. Por outro lado, pedimos clarificação em relação ao facto de os ToS ligarem o SL aos blogs, visto existir um risco de ban do SL se acaso os blogs não estivessem de acordo com as novas regras. Toda a gente menos os “histéricos” da greve achavam que isso era uma paranóia e, oficiosamente, um Linden informou que isso nunca aconteceria. Mas agora obtivemos uma (surpreendente para essa “toda a gente”) resposta clara a essa questão.

Como seria de esperar, a clarificação foi um presente envenenado, por assim dizer. Clarificaram exactamente no sentido oposto ao tal da “justiça“. Não deixa de ser uma clarificação e, em termos objectivos, temos a clarificação na mão.

Então e o que é que a clarificação diz? Diz várias coisas tais como afinal não é preciso escrever os TM e R’s em todo o lado, é só preciso escrever de vez em quando, quando agora não estou a ver exactamente, nem eu nem eles, há-de ser conforme depois aparecer. Tal como referem no post: “This can be a complicated subject. We’ve tried to provide some clear examples, but no trademark policy can cover every possible situation.”

Ou seja, eles também não sabem bem. Agarraram-se à trademark, agora é complicadíssimo explicá-la e aplicá-la porque depois há todo um conjunto de “outras coisas” que fazem com que se possa na verdade usar a marca sem ter que dizer que é registada cada vez que é usada, como é evidente.

Aquilo que é verdadeiramente importante é a parte dos ToS. E nisso foram claríssimos: se não formos compatíveis com as tais normas todas que eles também não sabem como aplicar porque cada caso é um caso e os advogados especialistas deles é que depois terão que analisar (isto digo eu), somos banidos do SL.

Mais claro que isto é impossível: “The TOS governs your relationship with Linden Lab and your use of the Second Life services. Your relationship with us includes how you use our trademarks–both inworld and outside of Second Life.”

Ou seja, se eu não “blogar como deve ser, banem-me”. Isto é absolutamente inaceitável, como se pode calcular. Entrando pelo “era o que me faltava, a mim ninguém me cala e – falando bem e depressa – quero que se fodam” basicamente aqui está resumida, a minha postura quanto a este assunto. Este blog sou eu que escrevo e eu escrevo aquilo que me apetecer e como me apetecer. Se me apetecer – no meu blog pessoal – dizer mal de marcas portuguesas registadas, digo. Uma coisa é escrever sobre um produto, outra é usar o nome para vender outra coisa, tirando partido do nome desse produto e tudo no mesmo saco, não aceito isto de forma alguma. Mais: se eu – no meu blog pessoal – escrever alguma coisa que possa ser passível de ser levada a tribunal, pois sou levada a tribunal mas não deixo de exercer a minha liberdade de expressão. Mas aqui, estes gajos cobrem os flancos todos: se este blog não estiver compatível, não me levam a tribunal coisa nenhuma. Banem-me do SL e eu que os meta em tribunal se quiser recuperar a conta. Isto é chantagem, porque alguns de nós têm outras responsabilidades – in world – e não podemos correr riscos de ser banidos (ou correr riscos que outros sejam banidos, no caso concreto aqui do GETA, que tem outros autores). E portanto, por medo, acaba-se por mudar o domínio ou meter os TM’s e os R’s todos e mais alguns, não vá a coisa virar feia para o nosso lado.
Isto está mal. Pode ser aplicação de lei (o que é muitíssimo duvidoso, advogados americanos especializados em trademark, consideram isso um abuso) mas não deixa de estar mal. A questão é que, para depois se resolver uma questão dessas, seria preciso levá-los a tribunal e está-se mesmo a ver que os levamos, não é…? Pois. Portanto, sabendo disso, que a grande maioria dos utilizadores não iriam por esse caminho, os gajos espetam isto em cima e quem não quiser aceitar, a porta é ali. São simpáticos, avisam primeiro. Portanto ninguém leva um ban sem aviso prévio (dizem eles agora; também não poderiam dizer outra coisa, senão caiam-lhes em cima com a liberdade de expressão – desta forma, as consciências ficam mais tranquilas e é mais fácil olhar para o lado e assobiar para o ar).

Adiante.

A verdade é que nós não lhes interessamos minimamente. Servimos para meter o SL no mapa, cada um à sua maneira, através de blogs, entrevistas, artigos, conversas com amigos. Agora não contamos porque o SL – com esta publicidade toda e sendo produto único no mercado com as mesmas características – virou-se para quem realmente interessa: as grandes instituições. Nós somos a aldeia do Asterix mas sem poção mágica. Ou nos conformamos ou saímos. É assim que as coisas são e vão ser.

Soluções práticas para isto:

1.: como diz o Rui Clary

Aconselho-vos a usarem domínios .eu , para, de forma mais protegida registarem nomes para os vossos blogs.
Reservem o nome do vosso Avatar, para uso exclusivo no Second Life e não o identifiquem ou usem no vosso blog.

É uma solução pragmática. E o facto de, na verdade, os gajos não perceberem rigorosamente nada do que aqui escrevemos, não deixa de ser uma vantagem. E o facto de sermos um país perdido no meio do nada, seja RL seja SL também ajuda; ah, apontaram os nossos nomes porque colocámos Portugal no mapa, com a greve? Bom, nem vale a pena entrar pelo campo da perseguição paranóica “eles sabem quem nós somos”. 😀

2. Outra solução:

Assets in world (sims e conteúdos de sims, dinheiro na conta, items construídos) : no nome/conta/inventário de um alt imediatamente. Para os donos de sims isto é ainda mais grave: se acaso forem banidos, perdem não só o inventário, como a conta, ie, os sims de que são donos – para o LL só conta o dono oficial – e o dinheiro que lá estiver . esqueçam, é possível, mas complicadíssimo.

Alteração da autoria em blogs. Os blogs têm essa vantagem, são escritos na areia. Vem uma maré e os autores deixaram de ser aqueles (desde o início do blog) e são, na verdade, a MariaeoZéSilva. Esta solução é similar à do Rui Clary, no seu segundo ponto.

Quanto aos domínios. Pois nada a fazer. Podemos sempre enviar email a perguntar se domínios como este do GETA são aceitáveis e claro que a resposta vai ser NÃO.

Quando decidirmos o que fazer com este blog, logo informamos. Eu, como sou do contra e não me apetece ceder àquela chantagem dos ToS, quero mantê-lo tal como está e que venham atrás de mim até ao fim, o que é 1. estupidamente orgulhoso mas eu gosto, 2. do contra que também gosto, 3. divertido para ver o que acontece o que também tem a sua piada e, em caso de ban, dá-me aí pano para berrar alto e bom som durante um pedaço largo de tempo, o que faz sempre bem ao stress. Claro, a Catzinha depois desaparece e perco as skins todas e mais a loja inteira da Last Call, mas paciência. No entanto, este blog é colectivo, portanto todos os autores tem uma palavra a dizer. E ate me pode passar a fúria e decidir mudar tudo. Ou dedicar-me a outros blogs. Ou qualquer coisa. Logo se verá (por agora estou-me nas tintas, cansada desta porcaria, siga a banda).