GetaSecondLife

Google entra nos mundos virtuais

Lançado há umas horitas atrás… a Google lançou um mundo virtual, Web-based, chamado “Lively“.

Não vão ficar muito impressionados… 

Sobre Gwyneth Llewelyn

Ando por aqui a pensar que se calhar já ando há demasiados anos a escrever disparates sobre o Second Life e que já devia ter idade para ter juízo, mas a verdade é que não desisto facilmente e sou teimosa que nem uma mula!
  • Lucilla Beaumont

    Se conitnuar só nisso, nem chega perto de concorrência ao SL…
    Isso aí sim é o tal Orkut em 3d que o povo insiste em dizer que o SL é u.u

    De qualquer modo, quando li e achei que seria concorrência pro SL, não sei se ficava preocupada ou feliz. Perfeito seria se a Google comprasse o SL, aí talvez tomassem conta daquela coisa melhor um pouco…

  • Não, penso que o Lively é concorrente ao Meez (que tem agora também um mundo virtual “embebido” na Web, mas que é infinitamente superior ao Lively…), Vivaty, e o Metaplace… todos eles são chatrooms em 3D limitados, mas que podem ser integrados com alguma facilidade em sites sociais. O Meez, destes todos, é o mais antigo e mais bem estabelecido. A Google pelos vistos quer romper com o “domínio” do Meez…

  • Eu fui cuscar e achei uma porcaria. 😀

  • É… Não sei como andar.

  • Ana, basta agarrares no teu avatar clicando com o botão direito e arrastando; ou então, duplo-clique no chão, que faz teleporte.

  • O Lively, não pode ser comparado com o Second Life, pois são conceitos completamente diferentes.
    A primeira reacção será sempre tentar usar as mesmas teclas e etc.
    Trta-se de um conceito de Mundo Virtual muito mais leve e com gráficos menos realistas, pois o objectivo é poder ser usado na web em redes sociais.
    Obviamente que não passa (para já) pela cabeça de ninguem fazer projectos de Arquitectura no Lively.
    Para já trata-se de uma forma simples de embutir nos sites uma salinha de chat para complementar os perfis pessoais das redes sociais.
    O google não podia obviamente ficara para trás num área que irá constituir uma enorme presença na web.
    Certamente aparecerão no futuro, Mundos Virtuais mais realistas na web, ou quem sabe, o Second Life não se muda um dia para web tambe com uma versão Light dos Simuladores….

  • Assim comássim, já lá tenho um pedaço de madeira a boiar 😀

  • Rui, acho que o Lively não é um “mundo virtual”, mas sim um chatroom-3D-embebido-numa-página-Web (ou seja, criamos um quarto para nós e para os nossos amigos, e podemos colocá-los em qualquer página Web), o que é uma “moda” com uns 3 ou 4 anos que tem vindo a pegar e à qual a Google, com toda a pujança da sua marca, chega agora a todo o vapor… embora com uma oferta significamente muito mais triste comparado o que há por aí fora…

  • Gwyneth, não sei se deva ou não concordar contigo, pois, pelo que observei até agora, parecem-me começar a aparecer ligações geográficas entre as salas e não apenas ligações sociais baseadas nos sites respectivos. Obviamente que a geografia será a geografia da própria web.Mas ainda é cedo para ver como se vai organizar. Não creio no entanto, que se venha um dia a ver o mapa do Lively com regiões demarcadas e etc.
    É certo que graficamente é pobre, mas isso torna-o abrangente, rápido de instalar e praticamente sem tempo de aprendizagem, o que não acontece com muitos MVs mais sofisticados.O aspecto(para já…), meio cartoon, atrai um publico mais juvenil e “ajaponezado”, mas que é muito dinâmico e criativo.
    Eles prometem conteúdos futuros inteiramente construidos pelos utilizadores. A ver vamos…
    Uma vantagem é inegável: Ao basearem-se no passaporte Google (Google account) , terão logo no primeiro dia dezenas de milhões de utilizadores, com os quais poderão até, quem sabe , estabelecer uma economia de produtos e objectos 3D, ou mesmo serviços.

  • A primeira impressão é a enorme lentidão. Criamos um escritório virtual da empresa, CLCC – Centro de Línguas, Cultura e Comunicação, http://www.clcc.pt, em detrimento do SL, mas apenas para experimentar.

    A grande desvantagem dessas plataformas, são sem dúvidas os requisitos que exigem das máquinas (pc’s).

    Cumprimentos,
    Pedro Alfarroba

    P.S. – Inscrições abertas na EPGE. Cursos Profissionais c/ equivalência ao 12º Ano. http://www.epge.edu.pt

  • sara

    porra puta merdAAAAAAAAAA se acharam o jogo chato problema de vcs caralho vao tomar no cuuuuuuuuu
    enves de explicar como baixa, fica ai enchendo o saco caralhooo vai se fude seus palermas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!