GetaSecondLife

Estatísticas actualizadas (v02.2008)

O “v” era só para disfarçar uma vez que os dados são mesmo até Fevereiro de 2008, já disponibilizados – embora não anunciados – em formato Excel pela Linden Lab®. O cenário não é famoso e há mesmo dados contraditórios entre o que está no ficheiro em Excel™ (produto registado pela Microsoft®) e no site oficial da Linden Lab® nas Economic Statistics. Senão vejamos, a área total constante no referido ficheiro (stats_200802.xls) em formato ilha era de, à data de 29 de Fevereiro de 2008, 851,97 Km2 correspondentes a 13.000 ilhas (cada ilha tem 0,066km2). Já nas Economic Statistcs, aqui, referem 12.861 ilhas. Nada de mal vai ao mundo já que se trata de um mero pormenor (apesar de números serem números…).

Indo ao que realmente interessa, são diversos os elementos a reter da evolução mensal da plataforma com a disponibilização dos dados de Fevereiro de 2008. Os mais importantes:

  • Estagnação do total de horas gastas por utilizadores na plataforma em pouco mais de 28 milhões de horas ou +0,47% MoM (+136,61% YoY[1]);
  • Pior aumento de sempre da população total, ao apenas registar um incremento de 3,53%, para 12.671.638 residentes. Em termos absolutos, foi a pior do último semestre e a segunda pior dos últimos 16 meses ao acrescentar “apenas” 431.477[2] residentes (média mensal de 2007: 786.487);
  • As contas Premium estão completamente estagnadas há quase 1 ano, verificando-se em Fevereiro um decréscimo de quase 600 contas, ou -0,61%, para 91.531 contas Premium contra 92.096 no mês anterior;
  • Portugal registou um decréscimo de utilizadores activos de -1,26% ou 55 residentes, sendo o número total destes no fim do mês de Fevereiro de 4.308;
  • A plataforma perdeu no mês de Fevereiro 16.659 utilizadores activos, traduzindo-se numa quebra de -3,06%, ficando o universo constituído pelos utilizadores activos[3] em 526.915. Entre os grandes países, Top10k[4], os quais representam mais de 80% da população total activa (EUA, GB, Alemanha, Japão, França, Brasil, Itália, Espanha, Holanda, Canadá e Austrália), o comportamento foi distinto. A Grá-Bretanha (+17,39% ou +7.160) liderou o conjunto de 3 países que aumentaram o número de residentes activos (Espanha +11,06% e Austrália +3,69%), com o Brasil (-14,76% ou -4.471) a liderar os 7 países que perderam utilizadores activos na plataforma (Japão -7,87%, Itália -6,04%, EUA -3,85%, Alemanha -3,40%, França -3,02%, Canadá -2,90% e Holanda -2,48%);
  • A área total da plataforma era de 1.038,97 km2, a 29 de Fevereiro de 2008, ie, +3,62% MoM ou +152,19% YoY.

Notas:
[1] a representação gráfica, em escala logarítmica, da evolução deste indicador é reveladora da tendência dominante;
[2] com os dados já disponíveis, a manter-se a média diária verificada até 25 do presente mês, Março deverá registar um acréscimo de aproximadamente 421.000 novos residentes.
[3] utilizadores ligados 1h ou mais por mês à plataforma
[4] países que têm individualmente mais de 10.000 utilizadores activos

  • Zuis Mertel

    Miguel , Excelente analise

  • Curiosamente, a preocupação actual dos gajos é a marca ao invés de realizarem uma análise destas tentanto perceber os motivos por detrás dos números.
    *sigh*

  • Miguel Yesheyev™

    Obrigado Zuis :)))

    A minha opinião é algo diferente Ana. A casa mãe já percebeu que por aqui estão “tramados”, ie, tal como está não tem margem para crescer de forma sustentada. Aliás, se há algo que ainda não sabemos de modo algum são os financials deles para aquilatar o que quer que seja. Dito isto, parece-me ser muito claro que a aposta passa por uma alteração clara de estratégia – passando igualmente pela marca nem que isso implique o afastamento de utilizadores – que lhes permita criarem condições para dar o salto em frente. Qual é? Continuo a achar que uma IPO será o cenário mais do que previsível até porque permitirá a materialização de dois cenários importantes:

    1º criar mais alguns multimilionários (lol);
    2º dotar a casa mãe de condições financeiras para poder dar o grande salto.

    Isto na minha óptica é o que se estará a tentar fazer. E o dar o grande salto é agora a única (última?) opção deles. Ou o fazem agora ou correm o risco de desaparecer, de facto, do mapa.

  • É a estagnação total. Ou dão a volta ou estão tramados.

    Cada vez mais roidinha para meter a vista em cima do R&C desses tipos. E então agora, que a rúbrica “Gastos com publicidade” vai aumentar mesmo 😉

  • Hmmm
    Faz sentido! E, por isso, mais um motivo para não me afastar. De qualquer modo, haverá muitos residentes que não lhes interessam que ficaram no Second Life® – aqueles que não se informam, que não têm conta premium e que não contribuem para a economia da coisa.
    Segundo percebi pretendem atrair cada vez mais empresas. Vamos ver…