GetaSecondLife

GETA interview – Eggy Lippmann

Beta 1
Confesso que estava curiosa com esta entrevista. Aliás, foi devido a uma conversa informal com o Eggy que tive a ideia desta série de entrevistas.
O Eggy Lippmann não é um mero residente no SL, como nós, é um Chart Member (reparem no perfil dele in-world), ou seja, um dos primeiros no SL antes de estar aberto e por ter colaborado directamente com a Linden Labs (vulgo LL). Actualmente, os Chart Members são menos de 100 e nem sei se estarão activos ou não. Entre muitas outras coisas (algumas que ele já nem se deve lembrar), é da autoria do Eggy a possibilidade de não transferir objectos do nosso inventário para outro.
O Eggy, juntamente com a Gwyneth Llewelyn (entrevista publicada aqui) e a Moon Adamant, são os empreendedores da Beta Technologies.


Beta 2
1 – Como descobriu o Second Life e o que o motivou a criar uma conta?
Um tipo qq falou disto no slashdot. Eu achei genial! Aquilo que sempre estive á espera!
Sou uma pessoa criativa. Detesto que me deem ordens. Detesto ter de fazer coisas de uma certa maneira.
Mas sempre gostei de jogar. Excepto a parte dos jogos nao me permitirem fazer coisas da maneira que eu quero apesar de serem soluçoes logicamente possiveis.
Nao foram coisas previstas pelo programador do jogo. Tens uma portazeca de madeira q precisa de ser aberta com uma chave apesar de teres uma bazooka.
O SL permite e encoraja a criatividade.

2 – Muitas pessoas desistem do Second Life na primeira semana ou no primeiro mês pelos motivos mais variados sendo que o mais comum é não se saberem orientar. O que determinou a sua permanência no SL durante todo este tempo e o que o motiva a voltar dia após dia?
Eu fiz batota… já era batido em design 3D e informática. Nem sequer percebo pq e q as pessoas tem tanta dificuldade.

3 – Como ocupa o seu tempo no SL?
Cumprimentar velhos amigos, explorar os sitios por onde vivi ao longo destes anos todos, ver como vao os projectos, testar scripts para ver se estao bem, dar formaçao…

4 – Alguma vez desistiu do SL? (Porquê?)
Bom como tu sabes já cá estou há uns cinco anos. É dificil ser diferente. As pessoas pressionavam-me constantemente para perder menos tempo com isto.
O próprio SL já mudou radicalmente tantas vezes que me frustrou. Mas nunca consegui afastar-me por muito tempo.

5 – O que mais lhe agrada mais e menos no Second Life?
O previsível. Trabalho nisto, apesar de nunca ter sido planeado para suportar projectos profissionais. O SL é a pior maneira de se fazer este tipo de coisa, excepto todas as outras que já foram tentadas hehehe 😉
Estou á espera de ter controlo total sobre uma plataforma. Mas o SL não é bem ainda uma plataforma. Nem sei se algum dia poderá ser.
Há sempre N hipoteses de algo correr mal. Nao ter permissoes no objecto ou no script ou na terra, falhar o asset server ou a ligaçao de internet ou o servidor estar mt lento ou… sempre N coisas que fogem ao nosso controlo.
So a LL e q tem controlo.

6 – Descreva-nos o seu percurso no Second Life.
http://secondlife.wikia.com/wiki/Eggy_Lippmann

7 – Relate-nos um episódo ou episódios caricatos que lhe tenham acontecido no Second Life.
err… sei la… conta-me um teu para ver se me reaviva a memoria.

8 – O que é, para si, o Second Life: um jogo, um metaverso, um mundo virtual?
O que é que tu achas? 🙂
Qual é a diferença para ti entre metaverso e mundo virtual?
O SL para mim é o novo flash ou o novo frontpage. Não é preciso ficarmos super excitados. Não vamos todos enfiar-nos no matrix.
É uma nova maneira de criar e consumir media. Tem vantagens e desvantagens especificas a explorar e a evitar.

9 – Alguma vez teve problemas relacionados com a plataforma? Se sim, como o reportou e qual a sua opinião do feedback por parte da Linden Labs?
Todos os dias! LOL!
Raramente chateio os Lindens. Eu tb desenvolvo software e sei que há sempre problemas e que eles sabem quais sao os problemas e estao a dar o seu melhor para os resolver.
O feedback foi relativamente atempado, da ultima vez que reportei um problema (estão-me a dar dinheiro de borla!!) mas eles não pareceram preocupados e disseram para ficar com o dinheiro.

10 – O que mudaria no Second Life?
Ui, tens uma hora ou duas? Cristo me valha. Tanta coisa. No geral, defendo que a Linden Lab é uma empresa de tecnologia que devia focar-se na tecnologia e não na gestão de espaço.
Tal como na web cada site tem o seu apoio técnico, a Linden Lab não devia dar apoio tecnico. Apenas as empresas ou individuos que quisessem explorar comercialmente a plataforma.
Devíamos ter ferramentas muito melhores para apoio a projectos profissionais de larga escala. O SL ainda é muito orientado á cadeira e á mesa.
É difícil empacotar e mover coisas grandes. A programação é muito restritiva para garantir a paz social (e mesmo assim continua a haver griefers). NEM SEQUER TEMOS FIND NO EDITOR DE CODIGO ARGH!
Podia escrever um livro sobre isso 😛

11 – De todas as possibilidades oferecidas pela plataforma e pela Linden Labs, conhece e utiliza todas as funcionalidades disponíveis?
Claro que conheço. O meu interesse no SL sempre foi mesmo aprender. Depois de já saber as coisas já não tem piada. A vida é toda ela uma experiencia de aprendizagem. Somos o conjunto de coisas que sabemos.
Já fiz de tudo um pouco, construir, animar, programar, etc.
Hoje em dia não uso muito as ferramentas visto que as minhas funções são principalmente comerciais e de gestão.

12 – Quais são os seus projectos actuais e futuros no Second Life?
É pá isso é confidencial.
Desculpa lá mas nós assinamos acordos de confidencialidade com os nossos clientes, eu gostaria imenso de falar sobre a quantidade de coisas que temos em mãos mas vais ter de esperar pela data de lançamento.
Bom, talvez te possa falar de um projecto de investigação que estamos a fazer com a UTAD mas sinceramente é uma coisa aborrecida para os teus leitores. Uma plataforma de comunicação entre objectos do Second Life para facilitar o desenvolvimento de projectos de larga escala.

13- Daqui a 5 anos, o que será o Second Life? Consegue projectar a carreira do seu avatar nesse médio prazo?

Eu espero sinceramente já não estar a fazer nada disto daqui a 5 anos. Sou uma pessoa que se aborrece depressa e tem de estar em constante movimento.
Já cá estou há 5 anos, o SL já é muito velho e muito visto para mim.
Sendo que temos a nossa propria empresa é um bocadinho dificil que alguem nos promova.
Claro que ha sempre a hipotese de a empresa crescer e ter mais responsabilidades, ou qq coisa… mas eu sempre achei que a medida do sucesso dos meus projectos era poder tornar-me redundante e o projecto continuar sem mim.
Gostava de ver isto em mãos bastante mais competentes do que as nossas. Seja porque temos dinheiro para contratar gente melhor do que nós, ou porque valorizámos suficientemente a empresa para esta ser vendida.

14 – Tem alguma sugestão de alguém que gostaria de ver entrevistado neste espaço?
Tem de ser tuga?
Acho que devias tentar entrevistar a Moon. Toda a gente fala comigo e com a Gwyn, pobre da Moon, é uma pessoa tao interessante e com tanta coisa para contar.
O problema é que ela provavelmente nao quer ser entrevistada.

Beta 3

  • Andabata Mandelbrot

    Parabéns pela entrevista (que já tardava) Eggy! E obrigado pela menção à UTAD. Na verdade, convinha referir que a Beta Technologies em geral tem sido impecável na disponibilidade para ligação universidade-empresa, quer no apoio a ideias de aplicação mais imediata, quer nas ideias mais académicas, com resultados a mais longo prazo. Especialmente por aceitarem investir em alunos de segundo ano, ainda a meio do processo formativo, que arrancaram já com um estágio na Beta contendo formação e produção de conteúdo em Second Life… sem terem de se mudar de Vila Real para Lisboa!

  • Muito gira a entrevista, é um ponto de vista completamente diverso do resto das pessoas. Pena que o Eggy tenha achado que os leitores não queriam saber dos projectos de investigação com a UTAD; grande parte dos leitores é exactamente esse tipo de coisa que quer saber. Mas ficámos a ter uma ideia com o comentário do Andabata. 🙂

  • Miguel Yesheyev

    Adorei, entre outras, esta frase “NEM SEQUER TEMOS FIND NO EDITOR DE CODIGO ARGH!”! Lolololololol caramba! Quanto à empresa, terás sempre a possibilidade de listing no Nasdaq! Sobretudo se for esse o objectivo da Linden Lab… Quem sabe? lol Excelente a colaboração com a UTAD, já que corresponde a uma visão comum do que deverá também ser a SL.

  • Esta foi uma das entrevista que mais gozo me deu ler. O Eggy tem uma visão bem diferente da nossa do SL visto ele utilizar o SL para trabalho e não diversão. Além disso, gostei imenso da maneira como ele expôs a sua visão do SL. 😀