GetaSecondLife

o espaço ‘alheio’ no SL

Na realidade, todo o espaço do SL pertence a alguém. O espaço que ainda não tem dono pertence ao Governor Linden, ou seja, à Linden Labs (LL). Ter terra no SL significa ter espaço num servidor. Do mesmo modo que este blog implica espaço num servidor e tendo um domínio próprio significa que se comprou esse (este) endereço. Ora bem, espaço num servidor acarreta despesas.
Dentro do SL, existem espaços abertos ao público e espaços privados. Os espaços abertos ao público continuam a ser suportados pelos seus donos que pagaram um valor à Linden Labs e que mensalmente despendem (os tiers) para que esse mesmo espaço continue a existir. Ou seja, além do custo do terreno em si acresce um custo mensal associado. Portanto, cabe a cada proprietário decidir o que fazer com a sua parcela de terreno: quem entra, quem não entra, como decora o espaço, etc. (Como já expliquei inúmeras vezes: é tal e qual como na RL! Cada qual escolhe quem entra em sua casa e quem não gosta, azar.)
Aqui há uns meses, atrás um grupo juntou-se sem qualquer projecto comum definido para comprar uma ilha privada no SL. Se lerem os comentários do post linkado percebem que o preço cobrado pela LL é muito superior ao simples custo da compra de um url ou mesmo de um espaço num servidor. O serviço é pago e bem pago. E, agora, ainda por cima, acresce IVA (para os residentes na UE). Portanto, a decisão de manter um espaço aberto ao público revela uma grande generosidade por parte do(s) dono(s) de um sim/ilha/parcela. E ter um espaço aberto ao público com eventos semanais ainda maior generosidade revela. Infelizmente, esta noção está longe de ser apreendida por muitas mentes que vagueiam pelo SL…
Dou-vos como exemplo Portucalis – que é um sim no SL onde
algumas
parcelas estão abertas ao público. Portucalis tem 6 áreas distintas e 9 donos. Cada um dos donos decidiu o que fazer com a sua parcela sempre com o pressuposto de manter uma paisagem homogénea e sem afectar a paisagem do vizinho. O que, aparentemente, resultou porque a ilha (no seu todo) é constantemente elogiada pela sua beleza.
Posto isto, ter privacidade no SL não pode nunca ser uma utopia. Se cada pessoa paga um valor (menor ou maior) mensalmente tem direito ao seu quinhão de espaço e a utilizar o mesmo como bem entender. É claro que ninguém gosta de chegar a um sim giro e ser expulso/empurrado ou ver red lines mas há que respeitar as opções de cada um dos residentes do SL.

Links relacionados:
Land Pricing & Use Fees
Land Island
Islands are priced at US$1,675 for 65,536 square meters (about 16 acres). Monthly land fees for maintenance are US$295.

  • Mid.Jewell

    Boas. Na minha 1ª terrinha tive muita sorte pois era muito pequenina mas tinha uma vista linda, um dia cheguei lá e tinha um “mostrengo” a tapar a vista como era novata mas na RL sou adepta do “a falar é que gente se entende” fui ver o domo e mandei uma IM a dizer qq do género (bonito prédio mas tenho pena pois eu tinha uma vista tão linda…). No dia seguinte o “mostrengo” estava de modo a não tapar a minha vista e aiinda tinha um aviso a dizer que podia passar pelas terras deles. Assim foi com todos os meus vizinhos. Fiz amizade com todos e hoje até faço parte do grupo, ajudaram-me muito.
    Mudei pouco depois de terra mas tive o cuidado de ver se queriam a minha pois não gostaria de aborrecer quem foi tão simpático comigo.
    Mas tens razão por vezes é difícil manter um espaço bonito quando se tem vizinhos. O vosso é lindo!

  • Não tenho qualquer dúvida que a grande maioria das pessoas, quando chegam, não fazem a mais pequena ideia que quase todo o espaço é privado. Depois percebem. Mesmo assim,admira-me imenso como é que pessoas que andam lá há meses não conseguem fazer uma coisa tão simples como olhar para o cimo da janela do monitor e ler o nome do terreno, ou clicar no “about land” para saber de quem é.
    Por outro lado, infelizmente alguns abusos que se passam em Portucalis, creio que são devidos àquela velha atitude tuga de “isto ser tudo nosso”. Não estou a ver alguns dos nossos menos delicados visitantes a fazerem as fitas que fazem quando chocam com red lines ou são banidos, se o sim não fosse português.

  • Obrigada, Mid.Jewell, pelo teu comentário. Julgo que todos os donos de Portucalis ficarão contentes com o elogio.
    O problema de ter um terreno num local sem convenant e sem tema é esse. Podemos vir a ter no quintal uma paisagem pavorosa. Gostos não se discutem porque aquilo que nós podemos achar foleiro pode ser do agrado do próximo. Enfim… o tema dava pano para mangas.
    No outro local onde morava (antes de Portucalis) nunca invadi a terra dos meus vizinhos, vagueei pelos áreas comuns mas nunca entrei num terreno de outra pessoa (sem ser convidada, obviamente).
    Aprendi a lição ainda em newbie quando percebi o que era um sistema de segurança…

    Cat,
    subscrevo cada palavra do teu comentário e assino por baixo.

    Aqui há uns dias, um newbie acabadinho de entrar no SL entrou várias vezes pelo meu terreno. Como muita gente, não percebeu ao primeiro empurrão (e, por isso, o sistema de segurança teve que ser alterado). Como era newbie, abri um IM a expliquei-lhe calma e serenamente que ele estava em propriedade privada com um sistema de segurança e que nunca deveria entrar assim nos terrenos porque a próxima pessoa poderá ser deveras desagradável para ele. O newbie agradeceu a explicação, comentou que era newbie e não sabia dessas coisas e lá foi ele à sua vida.

  • Mid.Jewell

    Voltei!! Eu também não entro e se vou a angum lado (sem ser as lojas, claro) cumprimento sempre quem vejo e estou com atenção ao nome das terras e seus donos.
    Claro que por vezes estou tão “embasbacada” com a imaginação de alguns que até me posso esquecer… Ahhh e quando vejo coisa realmente bonita elogio sempre e garanto q quando eu digo q gosto é porque gosto mm sou assim até na RL de resto “meto a viola no saco” e até evito olhar….
    Se vou a algum lado e não posso entrar venho embora na maior. É muto fácil quando se tem boa educação (lollll) agora por vezes acontece não se ter e aí está tudo estragado.
    Uma vez fui a um local acompanhada e não sei o que aconteceu mas fomos banidos… até hoje sinto uma vergonha que até estou vermelh de falar no assunto. Ainda tentei saber o motivo, mas nem resposta.
    Desculpem o testamento.

  • Obrigada pelo testamento, Mid.Jewell!

    Sim, concordo totalmente que seja uma questão de educação e vou mais longe: acho também que é uma questão de respeito. No caso de Portucalis, acho que pode ser uma questão de desconhecimento de que aquele espaço não é público. Mas isso só se desculpa uma vez – a primeira vez que acontece.

    Se eu te fosse contar os filmes que já levei por ter a minha parcela fechada… É completamente ridículo que com as red lines se acabaram os dramas. o.O
    Nunca mais recebi um IM a opinar sobre o facto de eu ter a minha parcela fechada. Da última vez que vi cabe-me a decisão sobre que uso dar à terra mas enfim… Claro que o conteúdo de algumas conversas por IM, sobre este assunto, acaba por me aborrecer. A minha questão é que eu não tenho que receber um IM de alguém a opinar sobre eu ter a terra fechada e/ou do sistema de segurança que escolhi. Não é propriamente o conteúdo ou o desenrolar da conversa. É mais o facto de alguém a quem não sai do bolso os tiers que eu pago mensalmente opinar sobre a minha terra!
    Por outro lado, também recebi por IM alguns (poucos e raros) pedidos de desculpa (antes das red lines).

    Quanto a levares um ban de determinada terra e não obteres resposta sobre o motivo… Olha, acontece. E o dono da terra não tem nada que se justificar perante ninguém.

  • Margarita

    Compreendo perfeitamente que se queira manter privada a nossa casa/terreno e, se fosse o meu caso, optaria indiscutivelmente pelas linhas vermelhas. A verdade é que, por várias vezes, nas minhas desastradas tentativas de voar e de me orientar sobre a incrível Portucalis, dei por mim a invadir (sem qualquer má intenção) a parcela da Ana. Em todos os outros sítios que visito, prefiro realmente encontrar as linhas vermelhas que me permitem logo saber que é propriedade privada a receber um aviso que me diz que dentro de alguns segundos serei expulsa daquele local. É que às vezes o meu teclado não obedece imediatamente e as consequências nem sempre são as melhores.

  • Margarita,
    na minha opinião, as red lines são feias e foleiras. Odeio ter as red lines!

    Portucalis é uma combinação de vários espaços, cada um deles com as suas regras, com um aspecto harmonioso. Portucalis não é um grande espaço aberto ao público (sustentado por meia dúzia de pessoas).

  • Imso

    Ana, permite-me apenas adicionar uma ideia à tua frase para que não surjam quaisquer tipos de mal entendidos para quem lê.

    Portucalis não é (no seu todo) um espaço aberto ao publico, nem tem que ser, mas há areas em Portucalis cujo objectivo é precisamente acolher gente das mais diversas maneiras…quem por lá passeia tem que ganhar, se ainda não ganhou, consciência disso e respeitar a privacidade de quem a quer ter.

  • Obrigada, Imso! (Agora ficou perfeito!)

    Acho uma atitude de enorme generosidade tudo o que é feito (nas áreas públicas) em Portucalis em prol de todos os que por lá passam sem serem habitantes.

    Estamos a focar os comentários no exemplo que dei – Portucalis. No entanto, queria (com este post) deixar claro que (no seu todo) o SL é espaço privado em que os donos das parcelas/terrenos/espaços decidem que destino dar aos mesmos e que, seja qual for o destino que decidirem, esses espaços são sempre sustentados pelos proprietários das mesmas.

  • M2life

    … e nos espaços que são públicos, cada vez mais avatares por lá aparecem. Só nos últimos 5 dias, na parcela ‘Realidades Paralelas’, a sand(green)box de Portucalis, 120 diferentes avatares usufruiram do espaço! 🙂