GetaSecondLife

Os extremos também se tocam no Second Life®

Fighting the Front” de Wagner James Au no New World Notes:

[…] I arrived at the protest against the Second Life® headquarters of Front National […] the conflict had become more literal, for many Residents had armed themselves. Multi-colored explosions and constant gunfire shredded the air […]

“Can I ask,” I begin, “why are you shooting?”
“Because I hate Front National,” Yue tells me simply.
“If you use violence, doesn’t that reduce you to their level?”
“I don’t know,” Yue answers, after awhile. “I don’t care. FN equals violence.”

And having offered that axiom, he returns his aim to the enemy, and unleashes another barrage.

  • Miguel Yesheyev

    Seja Garth. Tem a sua piada dar-lhes na cabeça. É o reflexo do que se passa na RL, mas de forma inofensiva. Em 1992, estava em França no âmbito do Erasmus e ia participar numa reunião na universidade contra a FN e a sua influência/consequências na sociedade francesa quando fomos barrados pela polícia. Afinal, o vice-reitor era da FN. Barrados! É o problema das democracias, permite que extremistas xenófobos tenham espaço de manobra nas sociedades livres, direito que eles não consideram inalienável…

  • Bolas…

    Estive em Varsóvia há uns meses e fiquei com asco a FN’s!

  • “Sticks and stones may break my bones but words will never hurt me” – criminalizar a palavra, o pensamento, é ilegítimo – a liberdade de consciência e de expressão [estão associadas] é um valor absoluto.

    Deste princípio deriva que as pessoas não devem ser impedidas de expressar-se, incluindo chamar aos neo-nazis e companhias “estúpidos” ou outra coisa qualquer (mas talvez fosse mais interessante chamar-lhes de beurs), como não devem ser impedidas de proclamar ideias que são para nós aberrantes…

    Proibir a expressão de ideologia nacional-socialista (socialismo totalitário, como dizia Hannah Arendt, “do tipo alemão”, como classificava Ludwig von Mises, ou fascista (socialismo do tipo italiano),

  • ou mesmo o socialismo soviético (vulgo comunismo político, responsável por só 100 milhões de mortos só no século XX, mas ainda intelectualmente tolerado) é igualmente iliberal.

    É uma vitória de quem entende que o mundo deve ser controlado politicamente pelo mais forte, por aquele com menos escrúpulos morais, pelo mais disposto a atropelar liberdades e direitos em nome de uma utopia. Lembremo-nos que até a própria democracia pode evoluir para uma ditadura da maioria, se não propriamente limitada…

    Disse Thomas Jefferson: “The price of freedom is eternal vigilance.”, ou seja, o civismo cultiva-se penosamente: não se impõe por decreto, como fizeram e fariam (distorcendo todos os princípios éticos e morais) totalitaristas por todo o mundo…

  • Parece que agora andam a distribuir panfletos (notecards)…

  • Deixa lá… não falta muito vamos ter os trotskistas também no SL. Estes palhaços podem bem protestar contra os avatares escurinhos que vêm roubar os “nossos” trabalhos. Quero ver os outros palhaços defenderem que a propriedade é roubo, e que toda a gente tem de contribuir segundo as suas possibilidades para o ideal deles, e esse tipo de asneiradas 🙂

  • boa noite