Dois excelentes artigos do Pedro Fonseca no DN de hoje:

Moedas reais num mundo fictício

Mais-valias dos jogos e economia virtual devem ser taxadas

Estas questões relacionadas com o dinheiro real/dinheiro virtual interessam-me sempre (em várias vertentes); neste caso, no entanto, as minhas dúvidas prendem-se com o anonimato. No SL somos todos anónimos se quisermos. O
unico detentor das identidades reais dos avatares é o Linden Lab, no caso de serem introduzidos os dados dos cartões de crédito, por exemplo.

Algumas perguntas que me surgem de imediato:

O Linden Lab poderá ser obrigado a fornecer ao IRS a identidade dos jogadores e os seus dados e transacções monetárias?

Se fosse aplicado um imposto in-word, i.e., se as transacções de uma conta apresentassem mais-valias, poderia o Linden Lab fazer uma espécie de retenção na fonte e transportar isso depois ao seu cliente?

Cidadãos não-residentes nos EUA são passíveis de ser taxados num jogo sediado nesse país, ou para os portugueses seria tax-free?

Evidentemente que estas perguntas são mais risíveis que outra coisa qualquer. Mas que o IRS está de olho nestas economias cujo crescimento tem sido brutal, não há qualquer dúvida.

Ainda vamos chegar ao ponto de termos que construir muitos alts para que os rendimentos de um jogador não alcancem o primeiro patamar de rendimento passível de ser tributado…;)