Gwyneth-Llewelyn-Winking-January-2015-150x150Gwyneth Llewelyn teve o azar terrível de lhe mostrarem um computador numa idade em que ainda brincava com bonecas — ou, pior ainda, em que construia cidades com peças de Lego, deixando ao irmãozinho mais novo a tarefa de imaginar as pessoas que lá habitavam e as suas relações entre elas. Mas os computadores estragaram mesmo tudo. Lá para as andanças de 1993 apareceu a Web, e nada foi o mesmo para ela…

Depois de lhe ter passado a mania de inventar empresas que tivessem a ver com a Internet, resolveu tirar umas férias em 2004… no Second Life®. Nesa altura haviam menos pessoas no SL todo do que neste momento existem portugueses. Adorou a experiência de ser contactada por Mentores (e nessa altura ainda se viam Lindens a ajudar os newbies), e, farta de procurar em vão mais informação sobre o Second Life, resolveu mas é criar o seu próprio blog (http://gwynethllewelyn.net/) com ajudas para novatos — como criar as suas próprias roupas, onde encontrar itens interessantes, locais a visitar, coisas assim. Não haviam quase blogs nenhuns sobre SL na altura, por isso chegou a ter muitas visitas, de pessoas tão ávidas como ela à procura de mais informação…

Com a explosão da SLogosfera, um blog “para novatos” deixou de fazer sentido (há mihares, e todos são melhores), e Gwyn passou mas é a escrever ensaios longuíssimos sobre filosofia, economia, e sociedade do Second Life, o que lhe valeu o título de intelectualóide e uma chata de morte que ninguém consegue ler até ao fim — violando assim a 7ª Regra de Ouro dos Bloggers (“Não escreverás mais de 250-500 palavras por artigo!”).

Infelizmente o bichinho de criar novas empresas não lhe impediu de cometer exactamente o mesmo erro que no passado e lançar uma empresa multinacional de criação de conteúdos no Second Life. Agora anda a armar-se em pretenciosa e a tirar cursos superiores — fazendo investigação científica em Second Life, pois claro!

Gwyn é uma idealista sonhadora, sempre optimista, e que acredita que a melhor forma de resolver conflitos e de gerir projectos fora do ambiente de trabalho é através de democracia representativa e não desistirá de a “impingir” até que um dia todo o Second Life esteja reunido numa única “federação democrática” onde todos poderão votar naquilo que quiserem. Espera apenas que lhe garantam pelo menos mais meio século de vida para ainda conseguir ver isso acontecer 🙂

Podem mandar-lhe todo o spam que quiserem para gwyneth (ponto) llewelyn (arroba) gwynethllewelyn (ponto) net.