Depois de escrever um testamento como o de baixo, pergunto-me: será que não estou a perder o meu tempo? Todos os leitores do meu blog pessoal (que são talvez o dobro dos do Geta), ou pelo menos aqueles que me dizem “desculpa, mas aquele blog não tenho mesmo a menor paciência: leio tudo o que escreves, mas aquilo sinceramente, mesmo que seja escrito por ti, não leio, não tenho o menor interesse no tema” e que são a grande maioria, concordariam de imediato que estou a perder o meu tempo, sim. Aqui a escrever sobre coisas que não interessam a ninguém, em vez de gastar esse tempo a escrever outras, lá ou noutro lado qualquer. Mesmo “de mim para comigo” tenho dúvidas: é evidente que só escrevo o que me apetece – como digo mais abaixo, o tempo de meter posts-fréte acabou, porque esses sim, constituem sem qualquer dúvida uma perda do meu tempo, embora possam ter a tal utilidade que alguns leitores procuram aqui – e se não me apetece escrever aqui, escrevo noutro lado, noutro tom, sobre outras coisas. Mas em termos mais racionais: será que não estou a perder o meu (que é muito escasso) tempo? Ou, pelo menos, a geri-lo de forma errada? A preocupar-me com questões psicológicas e comportamentais dos avatares (pamordeus!) em vez de me preocupar, de forma “opinativa”, com questões muito mais importantes? Será que um dia, quando reler este blog (se isso acontecer, que eu nunca releio os meus blogs, é raríssimo, salvo num dos casos, que nem sequer é público, mas sim privado para os meus mais chegados, mas se acontecer) vou comparar, com o meu blog pessoal, datas e acontecimentos e chegar à conclusão que não me lembro do que pensei na altura sobre questões que são bem mais importantes do que estas mais lúdicas e o que registei foi o problema dos vestidos das bonecas?

Eu sei que são tons completamente diferentes. Que este blog é temático e a temática me interessa, em certos aspectos. Que me dá gozo escrever sobre eles, quando estou para aí virada. Mas também me dá igual gozo e, provavelmente, muito mais retorno futuro (porque alguns blogs são isso, registos de hoje para lermos depois) escrever sobre outras coisas.

Tenho que pensar no assunto e gerir este equilíbrio da melhor forma. Mas sinceramente, nem sequer sei se deveria colocar este post aqui ou no blog pessoal. Complicado, isto, quando a coisa se mistura. Uma coisa é certa: muitos mais leitores do meu blog pessoal se interessariam por este post do que leitores do Geta (que vão passar à frente e nem sequer chegarão a esta frase). Seria curioso colocá-lo nos dois blogs e comparar o teor dos comentários.

[e não me digam, ah gostamos muito de ler o que escreves aqui! porque dos outros lados dizem o mesmo e até são mais 😀 Não é isso que está em questão, eu escrevo primeiro para mim e só depois para o leitor; trata-se de uma questão de autor vs tempo disponível e não de pedidos de afagos ao ego]