getafarm.png

Não tivesse sido o forte nevão que se abateu sobre o GetaFarm durante o Natal e este post já teria sido escrito há bastante mais tempo. Porque nos surpreendeu por completo a escolha do nome, achando-a simplesmente excelente, e sobretudo porque o trabalhado desenvolvido pelo Cocas Nishi e Medeia Magne é de grande qualidade.

No espaço GetaFarm, inteiramente concebido e construído em grande parte pela sua equipa, o relaxamento e contacto com a natureza foi abordado de forma magistral. Desde as cadeiras de pesca, ao pneu pendurado por uma corda na árvore, ao estábulo, ao pormenor dos cavalos, vacas, ovelhas e galinhas, à olaria que imita na perfeição a arte do oleiro oferecendo ao visitante uma peça, ao ambiente completamente verde e casas rústicas, o espaço merece, pela sua qualidade e harmonia, uma visita.

Conforme prometido, foi possível arranjar alguma largura de banda que nos permitisse ir ao GetaFarm com a versão Windlight de modo a mostrar algumas boas razões para lá se dar um salto (e, caso procurem artigos relacionados com o campo, a GetaFarm disponibiliza diversos a preços módicos).

Uma última nota curiosa prende-se comigo e com o Cocas Nishi. Quem diria que, por causa da Second Life, dois colegas da mesma turma do antigo 1º ano do Ciclo Preparatório se voltariam a encontrar, 25 anos depois?

getafarm1.png

getafarm2.png

getafarm3.png

getafarm4.png