Santinhos Noel
(foto da autoria de Santinhos Noel, retirado do seu blog sobre o Second Life)

O Santinhos Noel é um empreendedor. A sua primeira actividade no SL foi como DJ. Fundou a TugaSLCorp com o objectivo de fornecer recursos humanos a empresas, negócios ou actividades no SL. Actualmente, dirige a ZM – SL BUSINESS CORPORATION tendo sido convidado a participar em projectos internacionais, muitos deles em parceria com o Scorpionsoul Paine.
Ao percorrer o seu blog associado ao SL, encontramos vários posts a oferecer emprego assim como as notícias mais diversas e artigos de opinião sobre a comunidade portuguesa. O Santinhos sempre esteve atento a tudo o que ía acontecendo por todo o lado.
Abaixo do corte, publicamos na íntegra as respostas do Santinhos às perguntas que lhe colocámos.

1 – Como descobriu o Second Life e o que o motivou a criar uma conta?
Descobri o sl numa reportagem que passou num canal de t.v. sobre a história do criador da WSE (World Stock E.). O facto de o sl ir para além de um jogo como o SIM’s ou outros. Onde o valor está nas ideias, e na valorização das mesmas.
Nesse exemplo o criador da WSE disse que o projecto custou 260 USD, e que na altura valia 50.000 USD.
Na rl as ideias são muito mais caras de implementar e têm obstáculos diversos que no sl são facilmente eliminados. Um verdadeiro paraíso para um “idiota” (pessoal com muitas, mas muitas ideias) como eu… LOL!

2 – Muitas pessoas desistem do Second Life na primeira semana ou no primeiro mês pelos motivos mais variados sendo que o mais comum é não se saberem orientar. O que determinou a sua permanência no SL durante todo este tempo e o que o motiva a voltar dia após dia?
Bem eu posso dizer que sou uma pessoa persistente, enquanto muitos ocupam os primeiros dias a saltar de festa em festa e a falar de coisas banais, eu ocupei os primeiros dias a em busca de conhecimento, de skills para poder usar a meu favor. Na primeira semana tive o primeiro emprego sl, e ao fim de 2 e meia julgo eu já tinha uma pequena empresa de eventos.

3 – Como ocupa o seu tempo no SL?
A maior parte do tempo é ocupada pela gestão da ZM – SL BUSINESS CORPORATION, gestão de activos, funcionários, novos projectos, clientes, parceiros, orçamentos, etc.
O resto que sobra, que não é muito, LOL! Aplico-o na parte social, distracções com os amigos, até porque, as vezes, é no convívio com eles que surgem as melhores ideias.
Para além disso ultimamente parte desse tempo também é utilizado em função de um novo projecto internacional ao qual fui convidado a participar na equipa de direcção – OIG (Online Investment Group).
As vezes, dá saudades dos dias de noobie onde tinha mais tempo para as festinhas e para as conversas banais!

4 – Alguma vez desistiu do SL? (Porquê?)
SIM! Faço sempre questão de “desistir” nas férias… é sempre bom desligar-me deste ritmo frenético que o sl adiciona a minha vida, já não muito calma! LOL

5 – O que mais lhe agrada mais e menos no Second Life?
O que mais me agrada no sl é a eliminação das barreiras a projectos, ou melhor ainda as barreiras sociais. É muito banal tar a falar com pessoas, ou até ter amigos, da zona x ou y, ou com mais 20 anos a mais que nós, ou da profissão y ou x, ou com pessoas portadoras de algum tipo de deficiência, etc. São coisas que na rl subconscientemente são muitas vezes barreiras e não se produzem interacção entre estes diversos grupos sociais, no sl tudo isso cai e somos todos verdadeiramente iguais. Graças a isso posso dizer que tenho amigos/amigas, desde o estudante, ao empresário, ao jornalista, ao director, ao jardineiro, ao bancário, ao psicologo, ao desempregado, ao empregado de mesa, ao “utilizador” de cadeira de rodas, etc.
Acho que essa é a verdadeira maravilha do sl vai-se o perconceito e o tabu e outras coisas mais.
O que menos me agrada são os “crimes” praticados em nome do dinheiro, desde burlas, à cópia, aos ataques hacker a bancos sl, a empresas fantasma, a agressão verbal e ao bom nome, aos golpes baixos influenciando rls a não interagirem com este ou com aquele, etc. Infelizmente acontece em muitas comunidades, e cada vez mais na nossa, a PORTUGUESA.

6 – Descreva-nos o seu percurso no Second Life.
Uiii! Vamos ter que resumir lol!
Bem comecei como DJ, notei que no sl não havia, ou se havia eram muito poucos djs de verdade. Muitos eram gravações que colocavam para tocar, então foi por aí que apostei ir.
Na comunidade portuguesa era pouca abertura que tinha para entrar na actividade até porque estava tudo monopolizado pelos mesmos artistas (que até usavam gravações), então apostei nos nossos vizinhos Brasileiros consegui, comecei a ter muitos eventos por gostavam de me ouvir, então decidi dar um novo passo criar uma empresa de eventos, empregando e subcontratando djs, hosts, etc.
A empresa foi crescendo, mas sempre com um estilo que eu muito aprecio, o low-profile, ou seja os grandes pouco ou nada davam por nós e ia apanhando as migalhinhas. No primeiro mês de sl arrecadei 30 Euros sem pôr cá um único cêntimo.
No meio desse processo conheci o meu melhor amigo no sl, que tinha o mesmo problema que eu, os portugueses não nos davam oportunidades, no caso dele nem para treinar a skill k tanto gostava de aprender a construção.
Aos poucos ganhei capacidade financeira em L$ para investir e expandir negócios virei-me para a bolsa do sl e fundos de investimento e o meu melhor amigo o scorp foi apurando a sua técnica graças a um cantinho português gentilmente cedido.
Até que dei o salto para uma construtora, fez-se muitos projectos gratuitamente para ganhar portfolio, e graças a técnica do scorp conseguimos o primeiro grande contrato.
Uma altura que recebi propostas para cooperar com os grandes no sl, portugueses e internacionais, finalmente reparavam em nós. Quando outros como um meio de comunicação sl davam crédito a projectos menores que me deram mais tarde razão com o tempo ao falirem caso dos famosos centros comerciais no porto e outros.
Decidi pela proposta que mais nos valorizava não em termos económicos, mas em autonomia de decisão e liberdade criativa, assim poderia continuar com projectos meus, etc.
Foi o inicio da ZM Capital empresa ao qual faço parte ainda hoje em dia.
Os primeiros paços foi tentar cooperar com alguns dos grandes da comunidade, o que se revelou impossível, pois todos querem tar por cima e são incapazes de aceitar uma situação de igualdade de peso nas decisões, só assim é que é justo os grupos cooperarem.
Depois de algumas experiências típicas do PORTUGUÊS resolvemos ir pelo único caminho possível, fazermos o barco sozinhos sem cooperação e quem quiser vir na viagem será sempre bem-vindo!
É claro se trata de um resumo, não só pelo tempo e pormenores que demorariam a contar, como pelos segredos que são a alma do negócio, bem como porque algumas coisas não seria ético de minha parte levar para a “praça pública” certos assuntos que as vezes o mereciam de tão caricatos que são.
De resto quem tiver mais curiosidade pode sempre ler o meu blog em www.santinhosnoel.pt.vu

7 – Relate-nos um episódo ou episódios caricatos que lhe tenham acontecido no Second Life.
Bem já me aconteceram alguns mais muitos não é muito bom contar, pois seria por lenha na fogueira, lol!
Mas outros são bem mais engraçados.
A primeira vez que experimentei uma cama com scripts no sl tive um avatar encostado a parede provavelmente a ver com a camera, lol e quando abri a porta começou a fazer propostas à rapariga! LOLOL foi de riso, a situação como até as posições que aquelas camas trazem, fazem dos livros de kamasutra uma coisa do passado lololol!
Outra das coisas caricatas, que por acaso ainda acontece algumas vezes hoje em dia é avatares tentarem vender objectos freebies e incentivarem a sua compra por im LOL! Ou um nobie a clicar uma animação de dj e dizer pagam para fazeres isto LOL!
Ou nos primeiros episódios de construção uma estrutura que era encomendada por 3 digitos de euro, LOL, ter explodido ao tentarmos meter no inventário… basicamente a land ficou com prims espalhados por todo lado e aquele momento foi acompanhado com a desilusão pelo tempo que se iria perder a por tudo no normal.
Mas a melhor foi mesmo a de me ameaçarem com um processo judicial na rl por causa de uma situação banalíssima onde eu teria mais razão de queixa da outra parte. LOL
Enfim apesar de não ser um dos primeiros avatares pt, posso me rir com muitas coisas!

8 – O que é, para si, o Second Life: um jogo, um metaverso, um mundo virtual?
O second life para mim é uma plataforma de simulação e comunicação, que pode ser utilizada de diversas maneiras e funcionalidades. Desde a um jogo, a uma ferramenta de comunicação, uma ferramenta de trabalho, um meio de marketing, para liberdades criativas (artísticas), para aplicações financeiras, etc.
Resumindo o second life é sempre aquilo que nós quisermos que seja, a imaginação é o limite.

9 – Alguma vez teve problemas relacionados com a plataforma? Se sim, como o reportou e qual a sua opinião do feedback por parte da Linden Labs?
Sim já tive abusos por parte de visinhos dos sims que o grupo possui, depois do dialogo falhar, o report de abuso para a LL, resultou sempre. Apenas devem melhorar o tempo de actuação que em norma levou a 24 a 48 horas.

10 – O que mudaria no Second Life?
Essa é muito fácil… LOL… o LAG!
Tenho esperança que o motor gráfico 4 que estão a testar resulte para todos beneficiarmos de lag 0 ou quase lá!

11 – De todas as possibilidades oferecidas pela plataforma e pela Linden Labs, conhece e utiliza todas as funcionalidades disponíveis?
Sim posso dizer que utilizo muitas delas directa ou indirectamente. Gostava apenas de ter mais livre para algumas delas. O ensino internacional, e as ferramentas de ligação rl e sl são coisas que gostaria de me aplicar em conhecer mais, mas o tempo é pouco.

12 – Quais são os seus projectos actuais e futuros no Second Life?
Bem neste momento um dos principais projectos é a a reorganização dos activos do grupo ZM para podermos potencia-los ao máximo, e a manutenção do projecto do sim Maske pois excedeu as minhas expectativas para algo que não requereu muita atenção.
Ao mesmo tempo o cargo directivo na OIG que possivelmente apresentará projectos interessantes e pioneiros no sl, um deles já em vigor o investimento em forex (L$ em forex na RL, brilhante).
Para além de ajudar na Avatares & Sistemas os noobies e outros a aprenderem novas skills.
Para o futuro um projecto que se encontra já na fase final de planeamento, que estimamos a sua conclusão para meados de Janeiro de 2008, um espaço com uma filosofia que falta à comunidade Portuguesa, a cooperação e a ligação a outras comunidades. Como disse será “um barco” (fig. De estilo) onde quem gostar da filosofia será livre de embarcar. O tempo das divisões tem que acabar pois está a arrastar cada vez mais portugueses para fora do sl, ou para outras comunidades internacionais. Conheço já alguns casos…
Como é obvio não posso acrescentar muito pois existem muitos que já embarcaram que ficaram comprometidos.

13 – Daqui a 5 anos, o que será o Second Life? Consegue projectar a carreira do seu avatar nesse médio prazo? 5 anos, médio prazo?
LOL
Bem isto nos próximos tempos digo 1 a 2 anos irá se assistir a uma fracção do mundo dos avatares para outras simulações. As empresas iram para aqueles mais representativos do seu mercado alvo, um sintoma disso é a saída da Coca-Cola e da AOL anunciada este mês de Dezembro, para outros simuladores.
Quanto aos avatares irão procurar depois aquele que se identificam mais.
E como isto tem suporte tecnológico ganhará o simulador que tiver a mais variada oferta de funções e a melhor tecnologia.
Digamos que o sl serviu para todos aprenderem. Ou o sl se aplica a evoluir ou será ultrapassado.
Mas no fundo espero que sim, que daqui a 5 anos ainda Santinhos Noel habite o sl de cabelos grisa-lhos e mais que uma carreira sonho com uma comunidade portuguesa ao nível da holandesa ou brasileira, não digo em população, mas de dinâmica, estruturas de apoio e união.

14 – Tem alguma sugestão de alguém que gostaria de ver entrevistado neste espaço?
Sim para além de amigo, considero-o um dos melhores, se não o melhor construtor Português, ScorpionSoul Paine.

Santinhos Noel @ Second Life