Maria 1

A Maria Gherardi é uma das melhores amigas que tenho no SL mas não é nessa qualidade que lhe enviámos o notecard para a entrevista mas sim na qualidade de criadora de conteúdos.
A Maria fez recentemente 1 ano de SL e neste ano que passou vimos a MG fashion crescer e produzir roupa com cada vez melhor qualidade e com ideias cada vez mais originais. Sem dúvida que a MG fashion é, actualmente, um nome de referência na indústria de moda do SL. Regularmente, existem novas criações da MG fashion no SL. Para estar a par das criações, recomendo a leitura do blog assim como adicionarem-se ao grupo.


MG fashion
(fotografia de Maria Gherardi)

1 – Como descobriu o Second Life e o que o motivou a criar uma conta?
Fiquei a saber da existência do Second Life (SL) através de um grupo de colegas de trabalho/amigos. Após vários almoços em que o SL foi assunto de conversa, resolvi criar uma conta e fazer o download do software cliente. As motivações relacionaram-se, sobretudo, com a necessidade de confirmar as potencialidades da plataforma, perceber exactamente do que se tratava e participar mais activamente nas conversas da hora de almoço!

2 – Muitas pessoas desistem do Second Life na primeira semana ou no primeiro mês pelos motivos mais variados sendo que o mais comum é não se saberem orientar. O que determinou a sua permanência no SL durante todo este tempo e o que o motiva a voltar dia após dia?
Na verdade, “desinstalei” e voltei a instalar o software cliente da minha máquina umas… três vezes! As incursões e explorações demoravam muito tempo e pareciam complexas. Penso que o que determinou a minha permanência no SL foi a minha teimosia! Costumo ser uma pessoa persistente. Fiz pesquisas e percebi que tirar partido das potencialidades do SL implicaria paciência e persistência para ultrapassar a fase das aprendizagens iniciais! Depois, descobri a possibilidade de unir uma série de coisas que adoro fazer – desenho, imagem digital, expressão criativa.
Pelo caminho fui encontrando pessoas que me ajudaram e apoiaram, e com as quais estabeleci relações de amizade!
Hoje em dia, volto ao SL, dia após dia, pela MG fashion, pelos amigos que sei que vou encontrar e porque as aprendizagens nunca se esgotam – há sempre algo mais para ser aprendido!

3 – Como ocupa o seu tempo no SL?
A trabalhar, fundamentalmente. Quando não estou a trabalhar, estou a investigar. Quando não estou a investigar, estou a adquirir coisas necessárias ao trabalho: skins, cabelos, sapatos, poses, animações… enfim, futilidades!

4 – Alguma vez desistiu do SL? (Porquê?)
Não, “ainda” não!

5 – O que lhe agrada mais e menos no Second Life?
Agrada-me a facilidade de contacto com pessoas de todos os cantinhos do mundo!
Desagrada-me profundamente que as pessoas usem o facto de estarem “escondidas” atrás de um avatar para serem desonestas, desagradáveis, impertinentes… (etc!)

6 – Descreva-nos o seu percurso no Second Life.
Quando entrei no SL quase não conhecia portugueses. Visitava frequentemente sims brasileiros. Numa dessas visitas conheci a Nina Giovinazzo, que foi muitíssimo simpática e solícita. Foi a minha guia na “caça aos freebies”! Uma querida!
Também foi ela que me levou a algumas das lojas mais conceituadas do SL. Lembro-me bem da primeira vez que fui à Last Call: fiquei com os olhos esbugalhados e pensei “uau, também quero fazer coisas assim!”. Comecei a tentar. Fiz algumas peças de roupa para vestir o meu avatar. Fui tentando melhorar e os amigos encorajaram-me a abrir uma lojinha. Nasceu a MG fashion – era um cubículo feioso num centro comercial feioso! Mas foi uma festa, com direito a inauguração e tudo!
Nessa altura eu já conhecia o blog da Ana Lutetia – resolvi então contactá-la para saber se estaria interessada em fazer uma review da minha roupa. Ela disse que sim e eu fiquei feliz! A Ana foi determinante no sucesso da MG fashion!
Surgiu depois a oportunidade de montar uma loja maior, num sim português (Portucalis), onde fui muito bem recebida. A marca foi crescendo e ganhando um lugarzinho ao sol no mundo da moda do SL!
Com o crescimento da MG fashion surgiu a necessidade de mais espaço e tive o privilégio de ser convidada pela Mystikal Faddoul, a designer da Mystikal Hair Designs, para abrir uma loja no sim dela – que passou a ser a main store!
E, em pinceladas muitoooo largas, foi assim!

7 – Relate-nos um episódio ou episódios caricatos que lhe tenham acontecido no Second Life.
Bem, foram várias as situações em que dei boas gargalhadas! Lembro-me de, um dia, estar em casa de uma amiga da Nina, quando entrou pela casa um avatar estranhíssimo, todo verde, minúsculo, disforme, claramente masculino, mas de lingerie preta, chapéu de Robin Hood e um dildo gigantesco. Conversámos com ele e foi divertidíssimo!

8 – O que é, para si, o Second Life: um jogo, um metaverso, um mundo virtual?
Tudo isso junto (e muito mais?).

9 – Alguma vez teve problemas relacionados com a plataforma? Se sim, como o reportou e qual a sua opinião do feedback por parte da Linden Labs?
Não, não tive.

10 – O que mudaria no Second Life?
Tentaria desenvolver mecanismos que dificultassem/evitassem o roubo de texturas, situação cada vez mais recorrente no SL.
E também já fazia jeito uma ferramenta de desenvolvimento de sculpties in-world! Ahh, e já agora também quero scultpies flexy!

11 – De todas as possibilidades oferecidas pela plataforma e pela Linden Labs, conhece e utiliza todas as funcionalidades disponíveis?
Se dissesse que sim, amanhã teria que vir desmentir! Provavelmente, não!

12 – Quais são os seus projectos actuais e futuros no Second Life?
Consolidar a MG fashion. Melhorar, aprender, crescer.

13 – Daqui a 5 anos, o que será o Second Life? Consegue projectar a carreira do seu avatar nesse médio prazo?
Francamente, não consigo.

14 – Tem alguma sugestão de alguém que gostaria de ver entrevistado neste espaço?
(em branco)

SL-AnaLutetia-reviews429-blog2

MG fashion
Maria Gherardi – flickr
[MG fashion] factory | [Mg fashion] @ Muse